Sociedade

Escolas de negócios nacionais continuam no "ranking" do "Financial Times"

Escolas de negócios nacionais continuam no "ranking" do "Financial Times"

A Universidade Nova de Lisboa, a Católica e a Universidade do Porto mantêm-se no "ranking" do "Financial Times" para as melhores escolas de economia e gestão da Europa, estando a primeira entre as 30 melhores.

A lista publicada pelo jornal britânico "Financial Times" (FT) é liderada pela espanhola IE Business School. A HEC Paris (França) é a segunda melhor escola de negócios da Europa, tal como no "ranking" publicado em maio, seguida pela London Business School (Reino Unido).

As três universidades portuguesas marcam já presença neste "ranking" há alguns anos, tendo vindo a consolidar resultados no que concerne à formação pós-licenciatura.

A Nova School of Business (NBS) está agora na 29.ª posição (47.ª em maio) no "ranking" global em que é apurado um "Top 80", baseado nos vários itens analisados pelo jornal este ano. "A subida nos rankings reflete dois focos importantes da NBS, a internacionalização e a colocação e sucesso dos seus graduados no mercado de trabalho", assinala a instituição.

Este foi para a Nova um ano recorde em candidaturas de alunos estrangeiros para mestrados: aumentaram 50% e representaram metade das candidaturas, para um total de 50 nacionalidades diferentes, de acordo com dados da instituição.

A NBS garante ainda uma taxa de empregabilidade de 100%, seis meses após a conclusão do curso e diz que 40% dos alunos enveredam por carreiras internacionais.

"Sempre acreditámos na qualidade da nossa escola e trabalhámos afincadamente nos últimos anos para que tal se traduzisse neste reconhecimento internacional", sublinha o diretor da NBS, José Ferreira Machado, a propósito da divulgação do "ranking" do FT.

A Universidade Católica está igualmente satisfeita com a progressão alcançada. Está em 32.º lugar e sublinha que subiu mais de 30 posições desde que se estreou nestes "rankings".

"É a sexta vez consecutiva que estamos nos rankings e com uma trajetória favorável", disse à agência Lusa o diretor da faculdade (Católica Lisbon School of Business and Economics), Francisco Veloso.

Neste "ranking" entram avaliações dos programas de MBA, formação de executivos e mestrados de segundo ciclo de Bolonha.

A Católica tem cerca de três mil alunos associados a estes cursos e considera importante a publicação dos resultados "em todas as dimensões", seja para os alunos nacionais ou para os estrangeiros que pretendem ir para outro país: "Sentem que há um filtro de qualidade".

Francisco Veloso sublinhou também que a instituição contrata muitos professores internacionais, cerca de um terço do total.

A Católica destaca ainda que todos os alunos conseguem entrar no mercado de trabalho ao fim de três meses e que 83% recebe duas ofertas de emprego, com 22% a receber quatro ou mais propostas de trabalho.

A Universidade do Porto está também presente neste "ranking", com a sua Business School, em 55.ª lugar, depois de uma década a apostar na acreditação internacional e proximidade com o setor empresarial.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM