Religião

Cardeal diz que pedofilia influenciou "redução drástica" da fé no Ocidente

Cardeal diz que pedofilia influenciou "redução drástica" da fé no Ocidente

O cardeal de Washington afirmou, esta segunda-feira, que os casos de pedofilia que abalaram a Igreja Católica nos últimos anos estão entre os factos que desencadearam uma redução drástica da fé cristã no mundo ocidental.

O cardeal Donald William Wuerl falava no início dos trabalhos do Sínodo dos Bispos de 2012, subordinado ao tema "Nova Evangelização". O encontro, a decorrer no Vaticano, foi aberto no domingo pelo papa Bento XVI.

Durante a leitura do "Relatio ante disceptationen" (título em latim), documento que contém as indicações fornecidas aos prelados para a preparação do Sínodo, Wuerl afirmou que a "drástica redução" da prática da fé cristã entre os fiéis do mundo ocidental é uma consequência dos "transtornos ocorridos" durante as décadas de 1970 e 1980.

Segundo o cardeal, uma catequese "escassa ou incompleta" e "algumas aberrações" na prática da liturgia levaram a que gerações inteiras se afastassem da fé cristã.

"Foi como se um 'tsunami' de influência secular tivesse destruído toda uma paisagem cultural, arrastando com ele alguns indicadores sociais, como o matrimónio, a família, o conceito do bem comum e a distinção entre o bem e o mal", afirmou o cardeal norte-americano.

Numa referência aos casos de pedofilia que envolveram membros do clero, Wuerl afirmou que "de maneira trágica, os pecados de alguns incentivaram a desconfiança em algumas estruturas da Igreja".

Ainda durante a leitura do relatório, feita em latim, o idioma oficial do Vaticano, o cardeal denunciou que a sociedade atual "subestima e por vezes ridiculariza" a família tradicional.

O núcleo familiar continua a ser o pilar da sociedade e o contexto natural para a transmissão da fé, sublinhou.

O cardeal acrescentou que a atual sociedade exalta a liberdade individual e a supremacia do indivíduo, referindo que a secularização, o laicismo e o racionalismo criaram uma ideologia que "subjuga a fé à razão".

A progressiva secularização criou, salientou Wuerl, "uma espécie de eclipse do sentido de Deus".

Como tal, o cardeal de Washington defendeu a urgência de uma nova evangelização.

O Sínodo dos Bispos irá decorrer até 28 de outubro, contando com a presença de 262 prelados de todo o mundo. Também participam no encontro representantes de 15 igrejas cristãs não católicas.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado