Incêndios

Meios aéreos de combate a fogos concentrados na região do Gerês

Meios aéreos de combate a fogos concentrados na região do Gerês

A generalidade dos meios aéreos de combate aos incêndios florestais estão, neste momento, concentrados na região do Parque Nacional da Peneda-Gerês, onde a noite foi de intenso trabalho para os bombeiros. O incêndio que lavra na serra do Gerês, em Terras de Bouro, foi dominado na zona da vila, mas tem ainda uma frente activa de um quilómetro de largo na zona de rio Caldo, disse o presidente da Câmara.

Joaquim Cracel adiantou hoje, quarta-feira, que o município teve de accionar o Plano Municipal de Protecção Civil para fazer face a qualquer eventualidade, frisando que, até ao momento não se registaram danos em pessoas ou em casas: "Temos ambulâncias e outros meios na rua, mas felizmente as chamas foram controladas e não chegaram à vila do Gerês", sublinhou.

As atenções concentram-se agora num fogo que ameaça a mata do Cabril, uma das zonas protegidas mais importantes do parque.

Informações recolhidas pelo JN no local indicam que o incêndio que se mantém activo na zona do Parque Nacional da Peneda-Gerês e que ameaça a mata do Cabril está a ser combatido por 15 homens e um helicóptero, aguardando-se a chegada de um reforço de mais 30 homens e outro helicóptero. Uma das frentes deste fogo estará muito perto da mata.

De acordo com a informação disponível no portal da Autoridade Nacional da Protecção Civil (ANPC), o incêndio que lavra há seis dias em Barcos, concelho de Tabuaço (Viseu), está a ser combatido por 183 operacionais, com o apoio de 39 veículos e dois helicópteros bombardeiros pesados.

Já em Calcedónia, concelho de Terras de Bouro, no distrito de Braga, o incêndio que lavra desde segunda-feira, e que tem actualmente duas frentes activas, está a ser combatido por 121 homens, com 37 veículos e dois helicópteros bombardeiros pesados.

No distrito de Braga registam-se ainda mais dois incêndios: em Vilarinho das Furnas, também no concelho de Terras de Bouro, que é combatido por 31 operacionais e 9 veículos; e em Ribeira, concelho de Amares, onde o combate às chamas envolve 38 operacionais e 13 veículos.

No distrito de Viana do Castelo há três incêndios ativos, em Mezio/Travanca, no concelho de Arcos de Valdevez, e em Rocha e Casqueira, no concelho de Viana do Castelo, que estão a ser combatidos por um total de 44 operacionais, apoiados por 13 veículos.

Também no distrito da Guarda estão activos três incêndios.

Em Aldeia Nova, concelho de Trancoso, as chamas estão a ser combatidas por 90 operacionais e 25 veículos, e em Moreirola, concelho de Figueira de Castelo Rodrigo, o combate ao incêndio que lavra desde segunda-feira envolve 31 operacionais e oito veículos.

Em Aldeia da Serra, no concelho de Seia, as chamas são combatidas por 76 operacionais, com 13 veículos e dois helicópteros de ataque inicial.

Em Viseu as chamas devoram também mato no concelho de Mangualde, em Santo Amaro de Tavares, e são combatidas por 84 bombeiros, com 26 veículos.

No distrito de Aveiro, em Chã, concelho de Vale de Cambra, o incêndio em floresta que lavra desde domingo é combatido por 53 operacionais, com 14 veículos e um helicóptero de ataque inicial.

Desde as zero horas que a ANPC registou 82 incêndios, enquanto na segunda-feira verificaram-se um total de 430.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM