exército

Ministério da Defesa pede apreciação da ERC sobre notícia da Lusa

Ministério da Defesa pede apreciação da ERC sobre notícia da Lusa

O Ministério da Defesa Nacional anunciou, no domingo à noite, que vai solicitar à Entidade Reguladora para a Comunicação Social a apreciação de uma notícia da Lusa sobre o discurso de José Pedro Aguiar-Branco no Dia do Exército.

Em causa está o título "Ministro da Defesa acusa comentadores de serem tão perigosos como qualquer ameaça externa" de uma notícia distribuída pela Lusa no domingo à tarde, depois do discurso de Aguiar-Branco nas comemorações do Dia do Exército, nas Caldas da Rainha.

Em comunicado, o Ministério da Defesa Nacional (MDN) considerou que o título da notícia resulta de uma "interpretação totalmente abusiva e descabida" do discurso do ministro.

Ao falar às tropas, o ministro da Defesa afirmou: "O nosso maior adversário é o sentimento, inegavelmente crescente, de que as Forças Armadas, num contexto de carência geral, não são necessárias".

E acrescentou que a "visão simplista de que as despesas com a Defesa Nacional são um custo e não um investimento" tem sido defendida "por comentadores de fato cinzento e gravata azul".

"Comentadores de fato cinzento e gravata azul, que têm do Estado e da soberania uma visão contabilística. Que enchem as páginas dos jornais e os noticiários da televisão repetindo: para que servem as Forças Armadas?", insistiu Aguiar-Branco, considerando "perigosamente demagógico" o discurso destes comentadores.

Referindo-se a este "discurso da inutilidade das Forças Armadas" como o "maior adversário" dos militares, o ministro afirmou: "É tão corrosivo, tão arriscado e tão perigoso para a segurança nacional como qualquer outra ameaça externa".

Na nota divulgada horas depois, por SMS e colocada no portal do MDN, o ministério afirma ser "totalmente falso que o ministro da Defesa Nacional tenha proferido tal afirmação", referindo-se ao título: "Ministro da Defesa acusa comentadores de serem tão perigosos como qualquer ameaça externa".

"Tendo em conta a gravidade da afirmação, erradamente atribuída, o Ministério da Defesa Nacional informa que irá solicitar a apreciação dos factos por parte da Entidade Reguladora para a Comunicação Social", acrescenta a nota.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM