Sociedade

Portugal tem uma das mais baixas taxas de fertilidade da Europa

Portugal tem uma das mais baixas taxas de fertilidade da Europa

Portugal apresenta uma das mais baixas taxas de fertilidade na Europa, de apenas 1,32 bebés por mulher, e nos últimos anos registou mesmo uma diminuição, em contraste com a tendência da União Europeia, revela um relatório divulgado esta sexta-feira em Bruxelas.

O terceiro relatório demográfico, publicado a cada dois anos pela Comissão Europeia, revela que, em 2009, Portugal apresentava a segunda mais baixa taxa de fertilidade da UE, de apenas 1,32 crianças por mulher, apenas ligeiramente acima da Letónia (1,31) e a par da Hungria (1,32).

O estudo revela que a taxa de fertilidade tem vindo a cair em Portugal ao longo das últimas três décadas (era de 2,25 em 1980, 1,56 em 1990, 1,55 em 2000 e 1,44 em 2003), contrariando a tendência de ligeira subida na União Europeia, onde a média em 2009 era de 1,60 bebés por mulher, contra 1,47 em 2003.

A taxa de fertilidade mais elevada encontra-se na Irlanda (2,07), o único país que "cumpre" a taxa que o relatório aponta como necessária para a população europeia ser auto-sustentável, de 2,01 crianças por mulher.

O relatório adverte para o envelhecimento da população, apontando que se trata de um fenómeno que "deixou de ser algo que vai acontecer algures num futuro distante", pois "começou agora", até porque a esperança de vida também tem vindo a aumentar.

De acordo com este relatório de 2010, a esperança de vida na UE atingiu em 2008 uma média de 76,4 anos para os homens e 82,4 para as mulheres, apresentando neste caso Portugal valores até ligeiramente acima da média comunitária, de 76,5 para os homens e 82,6 para as mulheres, e que representam uma subida significativa face aos valores de 1993 (71,0 e 78,1, respectivamente).

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado