Sociedade

Sefarditas já podem pedir a nacionalidade portuguesa

Sefarditas já podem pedir a nacionalidade portuguesa

Foi publicado na passada sexta-feira o decreto-lei que permite aos sefarditas de origem portuguesa obterem a nacionalidade lusa por naturalização. O decreto entrou em vigor no domingo e já há milhares de candidatos.

Instado pelo JN, o delegado da Comunidade Israelita do Porto (CIP) para a lei da nacionalidade, Michael Rothwell, manifestou o seu "profundo" agrado. "É significativo o facto de esta lei entrar em vigor nas vésperas de Purim, uma festa judaica de grande alegria, que recorda a sobrevivência dos judeus a um massacre ordenado na Pérsia há mais de dois milénios", declarou.

Segundo a lei agora em vigor, a obtenção da nacionalidade portuguesa pelos candidatos passa, primeiro, pela obtenção de um certificado da comunidade israelita do Porto ou da comunidade israelita de Lisboa atestando que são descendentes de judeus sefarditas portugueses. Os candidatos podem então pedir a nacionalidade ao Governo português, juntando ao certificado outros documentos obrigatórios, designadamente o certificado de registo criminal.

Ao que o JN apurou, o primeiro cidadão a solicitar ao Governo a nacionalidade portuguesa será um cidadão do Panamá, Alfonso Paredes, e a sua família. Todos obtiveram o prévio certificado da comunidade israelita do Porto e já reuniram os demais documentos, que forneceram aos seus advogados. Fonte israelita disse que "ainda esta semana será formalizado o pedido de Alfonso Paredes e os dos seus familiares junto das autoridades portuguesas.

Paredes é descendente direto de um rabino sefardita da comunidade espano-portuguesa de Curaçau. Esse rabino, Eliau Abraham Lopez, de origem espanhola, tinha por esposa Raquel Nunes da Fonseca, de origem portuguesa.

Nesta altura ninguém sabe quantos descendentes de judeus sefarditas portugueses poderão beneficiar desta lei mas sabe-se que há milhares de interessados. Michael Rothwell esclareceu que, "só nos últimos dois meses" a comunidade israelita do Porto recebeu cerca de 5000 pedidos de informações, acrescentando que a CIP já "emitiu 21 certificados, para cidadãos da Austrália, EUA, Israel, França, África do Sul, Turquia, Panamá, China, Inglaterra, Macedónia, Suíça e Cazaquistão".

Recomendadas

Outros conteúdos GM

Conteúdo Patrocinado