Política de saúde

Língua alemã dificulta recrutamento de médicos e enfermeiros portugueses

Língua alemã dificulta recrutamento de médicos e enfermeiros portugueses

Uma empresa alemã que está desde maio em Portugal a recrutar médicos e enfermeiros para trabalhar na Alemanha já recebeu "muitos currículos", mas apenas 10 profissionais estão aptos a avançar com o processo, cujo maior obstáculo é a língua.

"Já recebemos muitos currículos. Lamentavelmente não podemos dar continuidade a todos os candidatos, pois um grande número não possui os conhecimentos básicos da língua alemã", disse à agência Lusa Katharina Fortmann do Rego, responsável pelo recrutamento da empresa 'Brandler & Rauschelbach'.

Neste momento, há "10 pessoas altamente qualificadas com diferentes níveis de conhecimento da língua alemã dispostas a avançar com o processo de recrutamento", disse.

A responsável informou que os candidatos às entrevistas, que irão decorrer no dia 21 de Julho na Câmara de Comércio e Indústria Luso-Alemã, em Lisboa, terão "obrigatoriamente" de enviar o currículo para kfrego@medic-job.com.

"Estamos otimistas em conseguir contratar o maior número possível de profissionais de saúde, após verificar que cumprem com os requisitos linguísticos", sublinhou.

Segundo a responsável, trata-se de mais de 5.500 vagas para médicos em hospitais e mais 12.000 para enfermeiros e auxiliares.

Sobre os requisitos necessários para trabalhar como médico ou enfermeiro na Alemanha, Katharina Fortmann explicou que o principal é saber alemão.

"Para começar o procedimento de recrutamento connosco, é necessário no mínimo um nível básico A1/A2. A partir deste nível oferecemos a possibilidade de fazer o curso intensivo no estado federado Thüringen, na Alemanha, e assim obter o nível requisitado - B2", explicou.

Os contratos são de tempo inteiro, mas também podem ser temporários, e os "benefícios e salários dependem da experiência do candidato.

Os salários brutos por ano nos hospitais variam entre 45 mil a 55 mil para os médicos asistentes, entre 50 mil a 73 mil para os especialistas e entre 68.500 e 92.000 para os chefes de serviço.

Já os salários brutos a anuais dos enfermeiros variam entre os 21.600 e os 26.400 euros.

Sobre as razões que levaram a recrutar estes profissionais em Portugal, a responsável adiantou que a empresa já trabalha nesta área há alguns anos e teve "bastante sucesso nos recrutamentos de médicos e enfermeiros para a Alemanha em países como Ucrânia e Hungria".

Katharina viveu os últimos quatro anos em Lisboa e acompanhou de perto o desenvolvimento da situação económica portuguesa.

"Com as recentes notícias de enfermeiros a trabalhar por 3,95 euros/hora, acredito que as duas partes, alemães e portugueses, podem tirar proveito deste recrutamento", frisou.

Outra empresa, s 'YES4KNOWLEDGE', que faz parte do grupo Saúde em Portugal, também está a recrutar, desde o início de junho, enfermeiros portugueses para trabalhar na Alemanha.

Jorge Lança, responsável pelo recrutamento da empresa, disse à Lusa que estão à procura de profissionais para trabalhar em lares, hospitais e clínicas alemãs, tendo já recebido cerca de "50 candidaturas válidas".

Devido às dificuldades dos candidatos em falar alemão, a empresa vais disponibilizar um curso em Portugal para "aprender o básico" e na Alemanha continuará a formação até obter o nível B2, sem o qual o enfermeiro não pode solicitar a equivalência do curso.

As entrevistas irão decorrer entre 16 a 20 de julho, em Lisboa e no Porto.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM