médicos

Ministro da Saúde anuncia contratação de médicos

Ministro da Saúde anuncia contratação de médicos

Após uma greve de 48 horas e uma reunião com o Sindicato Independente dos Médicos e a Federação Nacional de Médicos, o ministro da Saúde, Paulo Macedo, anunciou um levantamento das vagas disponíveis no Serviço Nacional de Saúde, até 31 de agosto, com vista à contratação de médicos.

"Qualquer concurso para horas terá sempre uma natureza supletiva e residual", ou seja, tal só irá ocorrer caso não fiquem preenchidas as vagas disponíveis através da contratação de médicos, garantiu o ministro da Saúde, Paulo Macedo.

A garantia surgiu, esta sexta-feira, após a reunião de mais de três horas entre a tutela, o secretário de Estado da Administração Pública e as duas estruturas sindicais que convocaram a greve de 11 e 12 de julho - o Sindicato Independente dos Médicos (SIM) e a Federação Nacional de Médicos (FNAM).

Paulo Macedo foi o "porta-voz" de uma declaração conjunta para anunciar que, até 31 de agosto, será feito o levantamento das necessidade médicas a nível nacional com vista à abertura de concursos para contratação de médicos para o Serviço Nacional de Saúde.

Desta forma, o Concurso das Horas de Trabalho Médico terá apenas "caráter residual", salientou o ministro da Saúde, garantindo que "a contratação de médicos à hora deverá evoluir de forma decrescente o mais depressa possível".

Será também negociada a tabela remuneratória das 40 horas semanais (em vez das atuais 35) e a alteração ao regime de trabalho em serviço de urgência.

A próxima ronda negocial ficou marcada para 20 de julho, comprometendo-se o ministério a entregar as propostas aos sindicatos 48 horas antes.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado