Sociedade

Pipocas podem ser uma refeição ligeira perfeita

Pipocas podem ser uma refeição ligeira perfeita

As pipocas contêm uma concentração maior de antioxidantes do que a fruta e os legumes. Foi a esta conclusão que chegou Joe Winson, investigador da Sociedade Americana de Química.

Durante uma conferência de imprensa realizada no passado domingo, em San Diego, nos EUA, revelou que o nível de antioxidantes presente numa ração de pipocas supera os 300 miligramas, enquanto numa peça de fruta fica-se pelos 160 miligramas.

Joe Winson é um investigador conhecido pelas investigações que tem feito sobre os componentes do chocolate, nozes e outros alimentos.

No seu estudo sobre as pipocas, o cientista debruçou-se sobre a concentração de polifenóis (antioxidantes naturais com propriedades terapêuticas, presentes na fruta, legumes, frutos secos e plantas medicinais).

De acordo com os estudos feitos, o nível de polifenóis presente nas pipocas é idêntico ao existente nas nozes. Curiosamente, a maior concentração de antioxidantes e fibra encontra-se na pequena casca que envolve os grãos de milho e que, normalmente, se metem nos dentes ou fazem engasgar.

O facto de haver uma maior concentração de antioxidantes nas pipocas do que na fruta e legumes deve-se - segundo realçou - ao facto de eles não estarem diluídos em água.

Joe Winson concluiu que as pipocas podem ser uma refeição ligeira perfeita, pois fornecem mais de 70% das necessidades diárias de cereais e, para além do mais, fazem-no dando prazer a quem come.

Contudo, para que as pipocas sejam, de facto, um alimento saudável é necessário que sejam feitas com uma quantidade mínima de gordura (apenas algumas gotas de óleo numa panela) e sem utilizar sal ou açúcar.

O investigador chamou a atenção para o facto de as pipocas que se vendem numa saqueta pronta a ser introduzida no micro-ondas ou as que são vendidas nos cinemas conterem 43% de gordura, ou seja, quase o dobro das que se podem fazer em casa. O ideal, como sugere, é prepará-las em recipientes e máquinas próprias, sem o recurso a gordura, açúcar e sal.

Por outro lado, Joe Winson chama a atenção para o facto de as pipocas não substituírem a fruta e os legumes, já que estes alimentos contêm vitaminas e outros nutrientes que não estão presentes nas pipocas.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM