Opinião

Rafael Barbosa

Política com blush e rímel

Não sou um especialista em maquilhagem, mas arrisco o palpite: aplique-se apenas o quanto baste, para fugir a caricaturas: demasiada base e fica-se com o ar emproado do palhaço rico; demasiado blush na bochecha e fica-se com o ar esborratado do palhaço pobre. Não há aqui sexismo. É verdade que este é território sobretudo de meninas, mas não está vedado aos meninos. Menos ainda quando, como é o caso, a maquilhagem surge em sentido figurado. Ou, dito de outra maneira, aparece apenas para maquilhar uma incursão na política.

paulo cunha

Um passo atrás na educação

Quando, em 2016, o Governo avançou para a suspensão dos contratos de associação com o Ensino Particular e Cooperativo, não ouviram uma palavra minha a criticar a decisão. Fiz sim observações quanto ao tempo da medida e à falta de reflexão sobre a mesma e alertei para as consequências que tal resolução acarretaria ao nível da oferta de ensino público em determinadas áreas territoriais, um direito que assiste a todas as comunidades e a todos os cidadãos. Os receios eram mais do que fundados, uma vez que, convém recordar, durante décadas, o Estado português recorreu a estes contratos para assegurar o ensino público, legando - opção naturalmente discutível, mas a verdade é que o fez - essa responsabilidade a outros agentes do território. Ao abandonar essa política, como que do dia para a noite, o Governo não teve o cuidado de preencher os vazios que inevitavelmente daí iriam resultar, em prejuízo dos direitos mais básicos das pessoas.

Nuno Melo

Na bola com mulheres bonitas

"Falamos de forma individual com todas as operadoras para que deixem de focar nas raparigas que podem ser consideradas atraentes. É trazer uma carga sexista desnecessária ao futebol". O pedido mais idiota do fenómeno desportivo universal foi feito assim, pelo dirigente da FIFA Federico Addiechi. Se há certeza dos nossos tempos é que a imaginação delirante do "politicamente correto" consegue ser estupidamente infinita, mesmo na crença estranha de um mundo virtualmente assético e assexuado.

A sua Opinião

França a justa vencedora do Mundial 2018?

Evasões

Comer

Bira dos Namorados: A hamburgueria minhota já chegou ao Porto

A Machadinha, não a música, mas o hambúrguer de vaca, com alheira, ovo estrelado, curgete, cebola frita e molho barbecue é o sucesso da casa. «Mais em Braga, que aqui o Chamarrita, feito em bolo do caco e com bacon, rúcula e queijo cheddar também é muito popular», nota Diogo Carvalho, um dos proprietários do Bira dos Namorados. Foi há quatro anos que ele e Mariana Marques, estudantes na cidade minhota, se deixaram ficar por lá e desenharam um projeto inspirado em duas paixões, a de Mariana pelos lenços dos namorados e a de ambos pela música tradicional. Os pregos […]

Comer

Matosinhos: Aqui comem-se pizas e carnes (tudo em doses generosas)

Abriu em 2016, pelas mãos de Marcelo Marquês, um brasileiro de raízes portuguesas que achou num cantinho em frente à praia o lugar ideal para criar um restaurante. É hoje gerido por uma dupla, também natural do Brasil, que em nada alterou a essência do Fornalha, mas antes aprimorou o que antes já atraía adeptos de várias latitudes. O coração deste restaurante no Cabo do Mundo é um forno a lenha que alimenta toda a carta, seja o lado das pizas feitas com massa napolitana de fermentação natural, ou o das carnes grelhadas em parrilla argentina. «O Fornalha começou como […]

Notícias

Já chegou a 1ª Rota de Enoturismo do Douro, e cabe no bolso

As margens do rio Douro circunscritas entre o Peso da Régua e o Pinhão são o território abrangido por esta nova rota que dá a conhecer as quintas ali localizadas que têm serviços regulares de enoturismo. A publicação foi pensada para promover a região e auxiliar o turista na sua visita, já que nela encontra, além de uma breve apresentação de cada quinta, informações acerca dos horários das visitas, provas de vinhos e outras atividades, assim como os serviços de restaurante e alojamento disponíveis e a melhor forma de acesso. A rota, inédita no país, nasceu da parceria dos 16 […]

Comer

9 bons restaurantes para comer no Algarve

O peixe e marisco chegam sempre frescos a estes restaurantes algarvios, estejam eles na cidade, em cima da praia ou até no meio de uma ilha deserta a que se só acede de barco. Uma coisa é certa: há cataplanas e mariscadas garantidas. E para aqueles que preferem a carne, grelhados e petiscos variados. O Algarve é rico em boa restauração. Percorra a fotogaleria para conhecer 9 bons restaurantes para comer no Algarve.     Leia também: Onde comer bem a caminho do Algarve perto da A2 Castro Marim: passeio pelo Algarve profundo e genuíno Do Alentejo ao Algarve: 12 […]