O Jogo ao Vivo

Infografia

Fogos ativos em Portugal e risco de incêndio

Futebol

Ponto de situação do mercado de transferências

Explicadores

Classificações

Todos os campeonatos, todos os resultados

Opinião

Inês Cardoso

Inês Cardoso

A eficácia do mata-borrão

Depois de vários dias de ausência, com o Governo a ser diariamente alvo de críticas devido ao caso Sérgio Figueiredo, à falta de medidas adicionais apesar da seca extrema ou à ineficácia do combate quando a área protegida da serra da Estrela ardia há quase uma semana, António Costa saiu do silêncio para vir comentar tudo e mais alguma coisa. Em meia dúzia de minutos, respondeu com ar bonacheirão a todas as perguntas dos jornalistas, fintou os temas mais incómodos com humor, comentou não comentando aquilo que o poderia comprometer.

Joana Almeida Silva

Joana Almeida Silva

Algodão-doce e a miragem das creches gratuitas

As instituições não são poucas, as vagas é que são. Quem, com filhos, não ouviu esta resposta à procura de creche ou inscreveu a criança quando ainda estava grávida ou vive numa zona em que a taxa de natalidade estará abaixo de um ou até mesmo negativa. As outras famílias terão sido bafejadas pela sorte, ou conseguiram apanhar vagas de desistências. É um périplo que mais se assemelha a procurar uma agulha num palheiro. Nas IPSS, assegurar uma vaga implica deixar o nome dos filhos numa lista, com meses de antecedência. Ainda ontem, um amigo me contava que tinha inscrito o filho aos três meses, para ele entrar numa instituição perto de casa aos três anos. E teve de o fazer assim que a menina da IPSS ligou, ou a vaga sumia.

Pedro Ivo Carvalho

Pedro Ivo Carvalho

Procura-se especialista

1. E, de repente, acordamos num país que precisa dos serviços de especialistas em políticas públicas como de pão para a boca. À duvidosa mas bem paga contratação por ajuste direto de Sérgio Figueiredo para o Ministério das Finanças, precisamente para acompanhar as políticas públicas, o Governo junta a de um pequeno exército de consultores e peritos, que vão figurar nas fileiras do Centro de Competências de Planeamento, de Políticas e de Prospetiva da Administração Pública, o PlanAPP. O nome é pomposo e o orçamento também: só em serviços de consultoria, formação e informação, serão gastos quase 12 milhões de euros do Plano de Recuperação e Resiliência, o famigerado PRR. E não estão incluídas nesta folha salarial as despesas com os pelo menos 65 funcionários já contratados. Garante o Governo que, apesar de centralizada, esta estrutura envidará esforços para canalizar o nível de especialização em benefício de todas as regiões. Mas com tanta gente debruçada sobre estudos, corremos o risco de gastar o dinheiro todo na radiografia e quase nenhum no doente.