Opinião

Miguel Guedes

Cuecas, ganga e mocassins

A insubstituível riqueza das redes sociais e da informação ao minuto é um presente, até no tempo verbal. E sem qualquer "delay". Para poucos minutos depois, dista apenas uma questão de segundos. Acção, reacção. A velocidade a que o país dos costumes se vestiu de ultraje pelo uso das calças de ganga e mocassins por António Costa aquando da visita oficial a Angola, explica-se facilmente pelo vício do politicamente correcto e pela urgência da crítica com pressa, sem curar do novelo, atenta às pontas. E assim vamos nas franjas, com mais ou menos nervo, sem os nervos em franja porque desatamos a descarregar em escárnio, gozamos pelo girar do prato e logo partimos para outra. Hoje, tudo é viral para um grupo de pessoas que se lê e ouve entre si, uma espécie de clube público de amigos de corte e costura. Mas não passa disso, somos muitos de nós em circuito fechado. No fim da história, Costa apenas usou calças de ganga e mocassins porque foi apanhado desprevenido. Cerimónia para o que te quero quando os serviços de protocolo não fazem o seu trabalho, antecipando as solenes alas militares. A formalidade foi-se, e foi-se assim, mal informada.

rui lage

As "ilhas" do Porto: do anátema à aura

Por subsistirem numa espécie de realidade paralela, subtraídas à pólis, é tentador imaginar escudada nas "ilhas" do Porto a "identidade" portuense que alguns ilusoriamente reputam hoje ameaçada, confundindo mutação com destruição. Em tal ficção, as "ilhas" seriam relicários do "espírito do lugar", ou, na sua anacronia, capazes de sequestrar a passagem do tempo e com ela a mudança que desorienta e angustia. Foi assim que o anátema deu lugar à aura e a "ilha" portuense passou de não-lugar a "hiperlugar", espaço investido de significações fortes.

A sua Opinião

O Governo deve intervir sobre a especulação imobiliária?

Evasões

Comer

Há uma nova cafetaria saudável na Baixa do Porto

«Queríamos ter mais espaço de produção», explica Frederico Horta, o mentor do projeto. «Agora podemos dizer que fazemos tudo de raíz e com mais de 80% de produtos biológicos», nota. O Berry da Trindade é maior que o da Boavista, mas quem aqui entra não tem dúvidas de que se trata da mesma casa. A decoração foi replicada e ao balcão não faltam as sugestões de sempre. «O objetivo é que as pessoas sintam que estão no mesmo sítio aqui ou lá», assegura Frederico. Todos os dias há uma tosta, sopa, salada, wrap e focaccia à escolha, preparados com os […]

Comer

Restaurantes, cafés, lojas: o que abriu no Porto neste verão

Meados de setembro, já o verão está na sua reta final, é o momento de se fazer o balanço dos últimos meses. Quem regressa das férias vai encontrar muitas novidades no Grande Porto. Há novos restaurantes, cafetarias e lojas. E também espaços que abriram há mais tempo e que fomos descobrindo este verão. Fique a par de tudo na fotogaleria acima.     Leia também: Porto: como aproveitar este fim de semana em grande Porto: A Rota das Tapas está de volta, com menus a 3 euros Lisboa e Porto têm dois cafés eleitos pelo "Telegraph"

Fim de semana

Um hostel de conforto no coração de Viana do Castelo

Por hostel, entende-se, normalmente, o tipo de alojamento informal para quem anda de mochila às costas, quer pagar pouco e não se importa de partilhar quarto. O Maçã de Eva, inaugurado em dezembro numa bonita casa senhorial a um passo da Sé de Viana, quer refinar o conceito e tornar-se num espaço onde apeteça demorar. Quem sobe a escadaria de pedra à entrada, encontra duas alas de três quartos cada, todos batizados e decorados de acordo com um tema diferente. Há o Fado, dedicado à canção portuguesa, onde sobressaem os móveis de madeira antiga e salta à vista a guitarra […]

Notícias

A Evasões desta sexta: Enoturismo no Douro - e muito mais

1. Douro Em mês de vindimas, regressa-se ao campo. Para participar na colheita, para conhecer a vida de quem faz disto vida, para perceber como do chão se faz uvas – e como estas são transformadas em obra de arte. A reboque da recente criação da primeira rota de enoturismo no Douro, por iniciativa dos produtores, visitamos as 16 quintas aderentes. Umas com oferta mais estruturada e profissionalizada, outras de espírito familiar, mas todas de portas abertas a quem quiser ver e viver de perto o mundo dos vinhos. No programa, há noites bem dormidas, refeições em mesas panorâmicas, visitas […]

Comer

A Pastorinha: o clássico tem nova vida em Carcavelos

Aqui não há papéis de parede floridos nem quadros com frases inspiradoras. Há uma longa frente de janelas de alto a baixo a deixar ver o mar e um piano de cauda no meio da sala. Depois de o restaurante, fundado em 1976 e remodelado em 2006, ter entrado para o portefólio do Grupo Sana o ano passado (o segundo projeto não hoteleiro a seguir ao SUD Lisboa), as mudanças verificaram-se sobretudo na decoração e numa carta mais organizada. Toalhas brancas e verdes nas mesas, cadeiras de tons claros, candeeiros menos pesados. A ampla sala de 130 lugares tira agora […]