em_foco

Fernando Negrão demitiu-se sob suspeita

Fernando Negrão demitiu-se sob suspeita

A suspeita de violação do segredo de justiça já levou um director da Polícia Judiciária (PJ) a demitir-se do cargo.

No ano 2000, Fernando Negrão, actual ministro da Segurança Social, foi acusado pelo "Diário de Notícias" (DN) de ser a fonte de uma informação protegida pelo segredo de justiça, no caso da Universidade Moderna. Em questão estava a informação alegadamente dada por Negrão a uma jornalista - e que teria sido escutada por dois membros da direcção do DN - de que estavam em preparação mandados de busca às instalações da Moderna. Essa informação foi publicada no dia 6 de Março de 1999, data em que decorreram as buscas.

Denunciado como alegada fonte da informação, Fernando Negrão confrontou em tribunal a versão da jornalista, tendo a juíza desembargadora que analisou o caso concluído que as contradições entre os dois eram de tal modo incompatíveis que era impossível apurar a verdade. Em consequência, o processo foi arquivado, com firmes protestos da parte do procurador-geral da República da altura, Cunha Rodrigues. À semelhança do sucedido com Adelino Salvado, também Fernando Negrão foi acompanhado na saída do cargo por vários dirigentes da PJ. A. F.