O Jogo ao Vivo

grande_porto

Distinção póstuma de poetisa portuense

Distinção póstuma de poetisa portuense

A poetisa Aizul, pseudónimo de Zita Leão, foi recentemente galardoada pela Confraria do Vinho Verde, com o grau de confrade honorário com o título de Cavaleiro.

Com esta distinção a confraria reconheceu o invulgar mérito que Aizul teve na divulgação das apreciadas qualidades daquele vinho e da região onde ele se produz, quando escreveu a letra "Ai Verdinho, Meu Verdinho", incluída no livro que publicou com o mesmo título.

O poema, que viria a ser musicado pelo maestro Manuel Marques, tornou-se numa das cantigas mais populares e mais trauteadas em todo o país.

Aizul era de ascendência brasileira mas viveu muitos anos do Porto onde, aliás, desenvolveu toda a sua actividade literária com especial incidência na poesia.

Contemporânea das poetisas e escritoras Marta Mesquita da Câmara, Alice Azevedo Constant, Aurora Jardim, Amélia Vilar e Ludovina Frias de Matos, Aizul publicou mais de vinte títulos (poesia e conto), participou em inúmeros saraus poéticos e fez parte de muitas das tertúlias culturais que nos anos 60 animaram os cafés da Baixa portuense.