pais

Criadores de burros concorrem a subsídios

Criadores de burros concorrem a subsídios

Após o reconhecimento oficial da raça asinina de Miranda por parte da União Europeia (UE), os criadores deste tipo de burro podem candidatar-se a um subsídio dentro das medidas agro-ambientais de manutenção de raças autóctones. As candidaturas podem ser feitas a partir de Março e destinam-se a animais reprodutores.

Dado o património genético em causa, a Associação para o Estudo e protecção do Gado Asinino (AEPGA) tem feito um trabalho de campo, com o intuito de aumentar o número de efectivos. Segundo Miguel Nóvoa, secretário técnico da AEPGA, o reconhecimento por parte da EU vai possibilitar aos criadores de burros de Miranda receber um subsídio de apoio à manutenção do efectivo.

A proposta de alteração às medias agro-ambientais no programa RURIS apresentada por Portugal à EU foi automaticamente aprovada, o que veio beneficiar várias raças autóctones em vias de extinção existentes no país.

A medida demonstra aos criadores, espalhados pelos concelhos de Miranda do Douro, Mogadouro, Vimioso e Bragança, que o trabalho desenvolvido em prol da raça começa agora a dar os seus frutos, já que visa a protecção de uma estirpe potencialmente ameaçada. Há apenas cerca de 800 animais reprodutores.

Os burros de Miranda contribuem para o desenvolvimento da região a vários níveis ajudam na lavoura e, por serem muito dóceis, até já são usados no apoio a crianças deficientes e muitas famílias têm-nos como animais de estimação. Têm igualmente um papel fundamental na promoção do turismo na natureza.

Francisco Pinto