cultura

Natália Correia recordada no antigo Botequim

Natália Correia recordada no antigo Botequim

Aescritora Natália Correia foi ontem homenageada em Lisboa. A cerimónia, informal, decorreu na livraria "O pequeno herói", exactamente na mesma casa que outrora foi o bar Botequim, um espaço de tertúlia e de convívio de muitos intelectuais portugueses e gerido pela própria Natália Correia.

Fundado em 1971, o Botequim "foi um espaço um bocado sucedâneo do que já tinha sido a Casa da Natália", afirmou, ontem, ao JN, Júlia Lello, poetisa e amiga da escritora açoriana, e frequentadora assídua do Botequim.

Em Fevereiro deste ano, o espaço transformou-se numa livraria especializada em literatura infantil com a gestão de Mário Cunha e Elsa Serra. O próprio nome da livraria é retirado do título do primeiro livro publicado de Natália Correia - "Grandes aventuras de um pequeno herói" - e que é, aliás, a única obra de literatura infantil da autora.

"Tivemos desde o início o desejo de fazer aqui uma sessão de homenagem a Natália Correia", disse-nos Mário Cunha.

Assim, ontem, durante a tarde, a livraria situada no Largo da Graça, em Lisboa, contou com a presença de várias pessoas que conviveram com a escritora. Leram-se textos e fizeram-se uns visionamentos de vídeos.

"Isto era um espaço aberto e politicamente muito pluralista", recordou , ainda, Júlia Lello. Na sua óptica "a obra dela ainda não está suficientemente estudada e divulgada como devia estar".

A livraria "O pequeno heróis" não é uma livraria qualquer. "O nosso objectivo passa por trabalhar os livros com as crianças, trabalhar o futuro em termos de hábitos de leitura em Portugal", disse-nos Mário Cunha. Como tal, a livraria apresenta uma programação preenchida por sessões de estórias, quase sempre contadas por Elsa Serra. E são muito selectivos na escolha do stock dos livros porque "há coisas que são feitas às 3 pancadas e não têm qualidade".

ver mais vídeos