porto

Pavilhão Rosa Mota faz 50 anos com futuro indefinido

Inês Schreck

OPavilhão Rosa Mota, no Porto, comemora amanhã 50 anos de vida. Degradado e a necessitar de obras urgentes, o equipamento prepara-se para entrar numa nova etapa. A Câmara do Porto já encomendou à Parque Expo um estudo sobre a estratégia futura de ocupação do espaço. O trabalho deverá estar concluído até ao final do ano. Uma das ideias da autarquia é converter o "Rosa Mota" num complexo multiusos, à semelhança do Pavilhão Atlântico, em Lisboa, e passar a sua gestão para as mãos de privados, embora ainda nada esteja definido .

À sociedade de capitais públicos, Parque Expo, foi pedido que estudasse a forma como o Pavilhão Rosa Mota deverá evoluir no contexto da Área Metropolitana do Porto.

As conclusões da análise, que deverão estar nas mãos da autarquia até ao Natal, terão de indicar o tipo de intervenção a executar no equipamento, o orçamento e ainda propôr os modelos de gestão mais adequados.

Conforme explicou Rui Rio, numa conferência de Imprensa em Julho passado, a gestão poderá ficar apenas a cargo da Câmara, ou passar por uma parceria entre a Câmara e os privados ou ainda ser concessionada a privados, mantendo o edifício sob a propriedade da autarquia.

O equipamento, que com muita polémica substituiu o oitocentista Palácio de Cristal (demolido em 1951/1952), necessita de uma intervenção urgente, principalmente porque chove no seu interior.

Segundo um diagnóstico feito pela Empresa Municipal de Gestão de Obras Públicas (GOP), são necessários pelo menos cinco milhões de euros para corrigir as anomalias. No entanto, o investimento na manutenção só será realizado depois da Câmara definir o rumo do "Rosa Mota", nomeadamente, a sua estratégia de ocupação e o modelo de gestão.

Em vias de classificação

No primeiro meio século de vida, o equipamento, também designado como Pavilhão dos Desportos, recebeu milhões de pessoas. Desde eventos desportivos, a exposições, passando pelas feiras do livro, até aos espectáculos musicais, houve de tudo no Pavilhão Rosa Mota.

O edifício, com projecto arquitectónico de José Carlos Loureiro, encontra-se em vias de classificação pelo Instituto Português do Património Arquitectónico. O que significa que as intervenções a realizar (o exterior não poderá ser alterado) ficarão sujeitas ao aval do IPPAR.

Insufláveis para crianças e ateliês recreativos

Os mais pequenos não foram esquecidos nas comemorações dos 50 anos do Pavilhão Rosa Mota. Amanhã, entre as 9 horas e as 13 horas, vão ser colocados vários insufláveis nos jardins do Palácio de Cristal. Paralelamente vão decorrer ateliês recreativos - pinturas faciais, jogos desportivos e aulas de fotografia - que visam a promoção de competências básicas nas crianças, por meio de orientação pedagógica e artística.

Gincana de karts a pedal

As crianças, a partir dos cinco anos, vão ainda poder participar numa gincana de karts a pedal, um circuito insuflável que contará com oito karts a pedal.

Jorge Palma ao vivo e

espectáculo pirotécnico

Pelas 18 horas, ainda no âmbito das comemorações dos 50 anos do Pavilhão Rosa Mota, haverá um concerto de Jorge Palma, com entrada gratuita. A seguir ao concerto, terá lugar um espectáculo pirotécnico, que encerra os festejos.