O Jogo ao Vivo

desporto

Champions Clerum

Habemus equipa

Doze sacerdotes portugueses partem hoje para Zagreb. Não vão de sotaina nem com qualquer veste litúrgica. Vão paramentados com o equipamento e com as cores da selecção nacional de padres. Na quarta e na quinta-feira, jogarão, com outras dez congéneres europeias, a segunda edição da "Champions Clerum"de futsal.

A Croácia venceu a primeira edição do troféu, disputado, no ano passado, na Áustria. Ao sagrarem-se campeões da Europa, os padres croatas ficaram logo incumbidos de organizar a segunda edição. E assim foi o torneio está marcado para Zagreb, é organizado pela Diocese local e tem o apoio da Federação Croata de Futebol, que já destacou os melhores árbitros nacionais de futsal para o evento.

PUB
Galegos favoritos

Onze selecções alinharão na fase de grupos, a jogar num só dia, na quarta-feira. O sorteio ainda não está definido, mas tudo indica que cada equipa terá de fazer e vencer três desafios de 30 minutos para poder jogar, na quinta-feira, as meias-finais e a final. Além da selecção da Croácia e da de Portugal, outras nove representações sacerdotais (Áustria, Bósnia, Eslováquia, Eslovénia, Espanha, Hungria, Itália, Polónia e Roménia) também estão de malas aviadas para Zabreb. Duas delas, a Espanha e a Itália, são estreantes, tal como Portugal.

De Espanha, mais propriamente de Ourense, chegarão os padres que todos consideram favoritos à conquista do troféu. A Igreja espanhola não faz por menos e incumbiu a representação numa equipa altamente traquejada pela participação na segunda divisão da liga galega de futsal. "Os Chispas F.S.", como se chama a equipa de curas galegos, tem qualidade muito apreciável e está já rotinada nestas andanças terrenas, sobretudo quando tem de enfrentar, no campeonato local, adversários mundanos como "Os Diabos Vermelhos" ou "As Ninfas", equipa patrocinada por uma casa de alterne...

Já a equipa portuguesa será composta por padres que nunca entraram em qualquer competição e que só têm o hábito de jogar entre eles, desde o seminário. Foi o padre Davide Gonçalves, pároco de Pousos, na Diocese de Leiria, quem ouviu falar da primeira "Champions Clerum" e quem teve a ideia de concorrer, juntando um grupo sacerdotes conhecidos e com jeito para a bola. Ele próprio se encarregou de seleccionar os melhores e de os treinar para o torneio, habilitado que está com um curso de treinador de nível 3, que lhe permite orientar equipas da Liga de Honra.

Deus não toma partido

O padre Davide, de 43 anos, convocou-se a ele próprio e será uma espécie de treinador-jogador. A escala de doze jogadores tem outro sacerdote da Diocese de Leiria, o padre Ferreira, mas todos os outros são de bispados mais a norte cinco são da Diocese do Porto, quatro de Braga e um de Viana do Castelo. Todos eles poderão ser adversários, a partir de Maio, no que se anuncia como o primeiro campeonato interdiocesano de futsal. As dioceses de Aveiro, de Braga, de Leiria, do Porto e de Viana já se preparam para jogar o campeonato. "Espero que a competição se estenda a todo os país", afirma o padre Davide.

Com o advento campeonato, o seleccionador nacional tenciona encontrar mais bons jogadores e mais escolhas para futuras convocatórias. Desta vez, os critérios de selecção do padre Davide foram muito limitados, escolhendo os jogadores que melhor conhecia dos desafios de futebol nos seminários. E é com eles que vai "jogar para ganhar", embora desconheça o valor das outras equipas.

"Sei que a selecção espanhola é muito forte e muito experiente, porque joga habitualmente num campeonato da Galiza. Do resto, da concorrência não sabemos nada. Não temos, como no futebol, possibilidade de observar os adversários em vídeo", diz o padre Dadive, que assume a táctica não será tudo ao molhe e fé em Deus, mas, sim, um bem desenhado 2x1x2, sem benzeduras nem apelos divinos, porque Deus é imparcial e não tem fracos por nenhum dos participantes. "Já temos escolhida a equipa-tipo, mas não a divulgamos, para não dar trunfos ao adversário", brinca o seleccionador do clero português.

Comunhão cristã

Os organizadores da "Champions Clerum" decidiram acrescentar mais um jogador a cada equipa (seis elementos, contra os cinco dos jogos oficiais de futsal) e reduzir o tempo de jogo a meia hora. Em cada uma das partes de 15 minutos, os treinadores poderão pedir "desconto" de um minuto, para recuperar o fôlego dos atletas, muitos deles trintões e, até, quarentões anafados. Na equipa portuguesa, o mais sénior é, precisamente, o seleccionador. O mais novo, o pároco de Monsul (Póvoa de Lanhoso), tem 29 anos e corre pelos outros todos... Talvez por isso, caberá ao padre Marco "Baresi" Gil [ver peça ao lado] desempenhar a função mais importante na equipa, a de "pivot", entre a defesa e o ataque.

Por Deus e pela pátria, a selecção nacional entre em prova para ganhar, mas o que mais a move, dentro do próprio espírito da prova, é a comunhão cristã com outros sacerdotes europeus, favorecida pela universalidade do futebol. Já amanhã, na catedral de Santo António, a selecção portuguesa e todas as outras equipas sacerdotais têm eucaristia com o bispo de Zagreb. Todos a rezar pela paz no Mundo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG