cultura

Porto expõe quadro raro de Santa-Rita

Porto expõe quadro raro de Santa-Rita

U m dos sete únicos quadros a óleo que existem de Santa-Rita Pintor, um dos introdutores do movimento futurista português, está actualmente exposto na Galeria Nasoni, no Porto. É um dos que escaparam à destruição levada a cabo pelo próprio artista antes da sua morte e posteriormente pela sua família. A obra é "Paisagem pré-modernista", um óleo s/madeira concebido em 1900 e está avaliada em vários milhares de contos.

Trata-se, de facto, de uma raridade uma vez que praticamente não existem obras deste pintor e escritor que nasceu em 1889 e morreu em Abril de 1918, em Lisboa. Tanto quanto o JN apurou, sabe-se que, do conjunto das sete obras conhecidas, fazem parte outras duas que pertencem ao Museu do Chiado, outras duas à colecção particular de Jorge de Brito e ainda a pintura "Cabeça", da colecção do Ministério da Cultura - além de "Paisagem pré-modernista".

Refira-se que Guilherme Augusto Cau da Costa de Santa-Rita, que usou o nome artístico de Santa-Rita Pintor, foi bolseiro na Academia de Belas-Artes de Paris, mas acabaria por perder esse subsídio devido às suas convicções monárquicas, e pelo facto de ter entrado em conflito com o então embaixador republicano João Chagas. Com 23 anos aderiu ao "Movimento futurista" e foi um dos seus principais impulsionadores no nosso país. Foi também actor e desempenhou um papel na novela "A confissão de Lúcio", de Mário de Sá-Carneiro. Entrou em litígio com o grupo Orpheu e fundou a sua própria revista a que deu o nome de "Portugal Futurista", mas da qual só foi publicado um número. A obra "Paisagem pré-modernista" integra a mostra colectiva que decorre até 31 de Novembro na Galeria Nasoni, no Porto.

20 quadros inter-nacionais

Assim, para além de Santa-Rita Pintor, podeão ser vistas obras dos mais conhecidos pintores, nomeadamente Almada Negreiros, Vieira da Silva, Arpad Szénes, Juan Miró, Tápies, Júlio Pomar, Bengt Lindstrom, Raymond Hains, Francis Smith, Eduardo Luiz , Ângelo de Sousa, Álvaro Lapa e Noronha da Costa.

Intitulada "20 Quadros inter- -nacionais, esta colectiva, que se insere nas comemorações do 20.º aniversário da Nasoni, pretende homenagear alguns artistas portugueses que, segundo se lê numa nota da mesma galeria, "salvo honrosas excepções, têm sido sistematicamente injustiçados comparando com os seus congéneres estrangeiros".

ver mais vídeos