nacional

Sindicalista da Auto Europa é deputado do BE até ao Verão

Sindicalista da Auto Europa é deputado do BE até ao Verão

António Chora trabalha desde os 14 anos em fábricas, sempre foi operário, mas é desde ontem - e sê-lo-á até ao final desta sessão legislativa -, deputado do BE, por Setúbal, em substituição de Fernando Rosas, que pediu a suspensão do mandato, por "razões académicas" e de "trabalho político".

O pedido de substituição foi aprovado, na semana passada, pela Comissão Parlamentar de Ética e prolonga-se até ao início das férias dos deputados, o que poderá acontecer entre 15 de Junho e o final de Julho.

António Chora,de 51 anos, saiu do PCP em 1999 e aderiu ao BE em 2001. Ao JN, disse que teve de suspender as funções de coordenador da comissão de trabalhadores da AutoEuropa, tendo ficado no seu lugar o vice- -coordenador, Manuel Martins.

"Não sabia que havia esta possibilidade. Fui surpreendido com o convite que me fizeram no dia 24 e aceitei", conta.

Antes de confessar "Sinto-me melhor nas fábricas do que naqueles corredores por onde andei ontem. Mas é positivo que um operário possa andar por eles e sentar-se no hemiciclo", conclui.

Os colegas reagiram bem. "Recebi bastantes mails em que deram os parabéns. Disseram- -me para eu voltar rápido e que, no Parlamento, continue a defender os trabalhadores".

Diz ainda não saber se três meses dão "para alguma coisa", mas acrescenta que gostaria de fazer uma intervenção sobre as más condições de trabalho na indústria automóvel e afins, em que "há uma elevada percentagem de doenças profissionais".

Falar do Código Laboral

Fernando Rosas sai - alegando "razões académicas" e por ter "compromissos de representação política do BE no estrangeiro" -, pelo que Mariana Aiveca o substitui na comissão de Negócios Estranheiros e Comunidades Portuguesas. Enquanto Ana Drago preenche o assento do historiador na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias.

Chora ficará com as "pastas" do trabalho e segurança social na respectiva comissão parlamentar, que era exercido por Mariana Aiveca.

Um lugar que lhe serve como uma luva. Até porque, estando o Governo a rever com os parceiros sociais, uma parte essencial do Código Laboral, o deputado quer aproveitar "para colocar algumas questões ao PS". Para que sejam alteradas algumas normas.

* com agência Lusa

ver mais vídeos