lusa

Energia Enupor nao desiste de central nuclear em Portugal mas esta atenta a outros paises

Energia Enupor nao desiste de central nuclear em Portugal mas esta atenta a outros paises

Lisboa, 20 Jun (Lusa) - Pedro Sampaio Nunes, que dirigiu o projecto para a instalação de uma central nuclear em Portugal afirmou que a Enupor - Energia Nuclear de Portugal vai esperar o tempo que for necessário e que está atenta a oportunidades noutros países.

"Os estudos estão concluídos. Agora é esperar que o debate se faça e que o Governo decida se se avança ou não para essa via", afirmou Pedro Sampaio Nunes em entrevista à Lusa.

O consultor do projecto da Enupor, um consórcio de investidores lançado por Patrick Monteiro de Barros, afirmou que a empresa vai "esperar o tempo que for necessário" para retomar o projecto.

"É algo que não se pode forçar", defendeu.

Sampaio Nunes afirmou ainda que a Enupor "está atenta a possibilidade de promover o uso de nuclear civil em outros países".

"Os contactos com outros países são muito promissores porque até ao momento os investidores estavam muito relutantes em investir na energia nuclear, mas agora já não", afirmou.

"Não tenho dúvidas que [o nuclear] vai ser necessário", sublinhou.

Sampaio Nunes defendeu ainda que para o nuclear avançar em Portugal, terá de existir uma "autoridade de segurança forte e independente" responsável pelo licenciamento de todo o processo.

A Agência para a Segurança Nuclear já foi constituída e é presidida por José Carvalho Soares, mas carece de meios, afirmou Sampaio Nunes.

Patrick Monteiro de Barros apresentou em Junho de 2005 um projecto para a construção de uma central de energia nuclear no país, com um investimento de 3,5 mil milhões de euros.

O projecto previa uma central nuclear com uma potência instalada de 1.600 megawatts (MW), com tecnologia de última geração.

Com esta iniciativa, Monteiro de Barros relançou o debate da energia nuclear em Portugal, não obstante o primeiro-ministro já ter afirmado que o tema não faz parte da agenda do Governo.

ACF.

Lusa/Fim

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG