porto

Empresa fabrica blusõespara a BMW e para a Mc Laren

Empresa fabrica blusõespara a BMW e para a Mc Laren

"Um bom exemplo uma empresa têxtil em crescimento, com óptimas instalações, uma boa carteira de clientes, sem ameaça de despedimentos". Foi desta forma que Fernando Jesus, do Partido Socialista/ /Porto, sintetizou a visita à Damel - Confecção de Vestuário, na Póvoa de Varzim.

Depois de um período difícil que, em 2002 e 2003, quase ameaçou a continuidade da empresa, a têxtil poveira deu "a volta por cima" e está hoje a produzir os blusões da equipa de Fórmula 1 da BMW e da McLaren, com uma carteira de clientes que vai da Hugo Boss à Armani e uma previsão de aumento de 40% no volume de facturação para 2007 - de 750 mil euros para 1,2 milhões.

Aos deputados do Partido Socialista, Vítor Paiva, sócio da empresa, fundada pelos pais, em 1986, deixou apenas um recado para o Governo que apoie as têxteis, cujas pequenas e médias empresas "asseguram milhares de postos de trabalho" e têm já "uma conotação de qualidade nos mercados mundiais", e que pare de dar benefícios só "às grandes empresas, que passam cinco anos no país e vão embora".

Em 2000, explicou Vítor Paiva, a Damel investiu cerca de 750 mil euros na modernização tecnológica.

Hugo Boss e Lacoste

Com clientes como a Hugo Boss - há 17 anos a trabalhar com a Damel, a um ritmo de 25 mil peças por estação -, a Lacoste e a Armani e uma "produção de alta qualidade em blusões e fatos de sky", 99% destinada à exportação, a têxtil poveira atravessava um bom momento.

Em 2001, com a "fuga" das grandes marcas para os países de Leste, a Damel entrou em crise.

Cinco anos depois, com 134 funcionários, está de novo em crescimento.

Segurou-se, apostou na qualidade e procurou novos nichos de mercado, enveredando pelas colagens - em substituição das costuras - em blusões e "streetwear", onde se tornou pioneira em Portugal.

Hoje, prepara a encomenda de blusões da equipa de Fórmula 1 da BMW e da McLaren, já com cerca de 180 pessoas a trabalhar em empresas sub-contratadas.

Já na calha, está a produção para a mais conhecida escuderia italiana, a Ferrari.

Foi em 1986 que o casal Paiva fundou a Damel - Confecções de Vestuário. Na altura, a empresa, com seis funcionários, confeccionava calças de ganga para o mercado nacional. A Damel aposta, a partir do final dos anos 80, em artigos de alta qualidade. Começa a produção para clientes como a Hugo Boss, a Armani, a Lacoste e a Puma, no fabrico de blusões e fatos de ski. A Damel passava a dedicar-se quase em exclusivo à exportação para a Europa e EUA. Em 2003, aposta em produtos inovadores os blusões colados. Hoje, a empresa é a responsável pela produção dos blusões da equipa de Fórmula 1 da BMW e da McLaren. Dos tecidos aos fechos e molas, passando pelos forros, Vítor Paiva, filho dos fundadores e um dos sócios da Damel, vai tentando introduzir o artigo nacional na produção para marcas estrangeiras. "Portugal já começa a ter uma conotação de qualidade nos mercados estrangeiros", explicou, acrescentando que, como a etiqueta "Made in Portugal" ainda não é obrigatória, muitos desconhecem que, quando compram um blusão Hugo Boss, ele pode ter sido feito na confecção poveira.ATM

ver mais vídeos