lusa

Universidades: CIN instala mini-fábrica na Faculdade de Engenharia do Porto

Universidades: CIN instala mini-fábrica na Faculdade de Engenharia do Porto

Porto, 16 Nov (Lusa) - A CIN doou 100 mil euros à Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) para a conclusão de uma mini-fábrica de éter dimetílico destinada ao ensino avançado dos alunos do Departamento de Engenharia Química (DEQ), disse hoje à Lusa fonte da empresa.

Esta verba complementa outros 100 mil euros, atribuídos em Maio de 2002 ao Departamento de Química, para a primeira fase da construção desta infraestrutura e para a implementação de um reactor de polimerização.

Este é o mais recente investimento resultante da parceria CIN/FEUP, uma relação que se iniciou em 1999 e que abrange, segundo a fonte empresarial, áreas de projectos de Investigação e Desenvolvimento (I&D), recrutamento, patrocínio de eventos e registo de patentes e publicação de artigos científicos.

"A trabalhar, em conjunto desde 1999, o Grupo CIN e a FEUP têm, ao longo dos anos, aprofundado esta parceria estratégica universidade/empresa, dando corpo a um dos vectores mais defendidos pelo Governo e pelos meios académicos - a interrelação universidades/empresas - juntando o "know-how" empresarial ao conhecimento científico", sustentou a fonte empresarial.

Segundo esta, o Grupo CIN "pretende consolidar, e também reforçar, o seu posicionamento de líder no mercado ibérico de tintas, intervindo de forma decisiva no desenvolvimento de produtos que antecipem as necessidades dos consumidores".

Por isso, frisou, "no âmbito da parceria estabelecida com a FEUP, a recolha, partilha e troca de informação técnica, bem como a aplicação de métodos complementares, com a instituição de ensino, revela-se, em determinados casos, fundamental na procura de novas soluções para o mercado de tintas e vernizes".

Actualmente a colaboração CIN/FEUP abrange, segundo salientou o engenheiro Adélio Mendes, professor doutor do DEQ, áreas muito importantes, nomeadamente a caracterização das tintas, nanotecnologia com o desenvolvimento de nanocompósitos poliméricos, abatimento de NOx através da fotocatálise e o estudo de tintas com capacidade de controlo de radiação, com vista ao conforto térmico.

A colaboração da CIN, com o DEQ da FEUP, iniciou-se no âmbito da co-orientação de dois alunos de licenciatura da disciplina de Projecto de Investigação.

Desde essa altura, disse à Lusa Adélio Mendes, "que esta parceria se tem desenvolvido, em qualidade e quantidade, diversificando-se as formas de colaboração".

Actualmente, segundo frisou, a CIN é co-responsável por 10 alunos do Projecto de Investigação e três doutoramentos. Publicou, com o DEQ/FEUP, quatro artigos em revistas internacionais, tendo também duas patentes nacionais registadas, outras duas em processo de submissão, em Portugal, e uma terceira, em processo de submissão, em Espanha.

Com esta colaboração empresa/universidade os benefícios são, segundo Adélio Mendes, mútuos.

"A CIN tem a possibilidade de desenvolver projectos de I&D num leque alargado de áreas de especialidade, tirando partido das várias valências dos docentes do Departamento de Química enquanto os alunos beneficiam de um contacto com o mundo empresarial, que os faz crescer como pessoas e profissionais de engenharia química, mantendo uma grande interacção com a sua escola", frisou o docente.

O Departamento de Química da FEUP beneficia também com os financiamentos que a CIN tem concedido nestes oito anos de parceria, bem como os seus docentes envolvidos nos projectos, que ganham, segundo Adélio Mendes "mais experiência e qualificações" através da sua interacção com a CIN.

A orientação dos alunos de graduação e pós-graduação, a trabalhar em parceria com a CIN é feita numa base semanal, com a presença dos orientadores da FEUP e da empresa.

Pela CIN passaram, desde 1999, segundo a fonte da empresa, 49 alunos de Projecto de Investigação, um número alargado de estagiários do programa PRODEP, do programa POCI, do Centro de Emprego e Formação Profissional e, mais recentemente, alunos de doutoramento.

"Como consequência natural destes estágios a CIN integrou já nos seus quadros sete ex-alunos de Projecto de Investigação", revelou a fonte.

A CIN atribui também - anualmente - o prémio Engenheiro António Serrenho, no valor de 2000 euros, ao melhor trabalho de Projecto de Desenvolvimento em Ambiente Empresarial, desenvolvido em colaboração com a empresa.

A Corporação Industrial do Norte (CIN), que opera exclusivamente no mercado de tintas e vernizes, é líder na Península Ibérica, com um volume de negócios, em 2006, de 197.2 milhões de Euros.

Fabrica e distribui produtos para Decoração e Construção Civil, Protecção Anticorrosiva, Indústria (metal e madeira) e Repintura Automóvel e ocupa o 42º lugar no ranking mundial de produtores de tintas e vernizes, no ano de 2007 (refª Coatings World).

Possui unidades fabris na Maia (Portugal), Barcelona e Tenerife (Espanha), Benguela (Angola) e Maputo (Moçambique), distribuindo os seus produtos em Portugal e Espanha através duma rede de lojas próprias, franchisados, concessionados e de revendedores autorizados.

JAM.

Lusa/fim

ver mais vídeos