norte

Intervenção de fundo para renaturalizar rio Este

Intervenção de fundo para renaturalizar rio Este

A Câmara de Braga vai avançar, nos próximos dias, com a regularização e renaturalização das margens do rio Este, depois de ter adjudicado uma empreitada à empresa municipal de águas e resíduos sólidos urbanos, "Agere", para a remodelação e ampliação da rede de drenagem de águas residuais. Esta intervenção "prioritária" vai acompanhar o curso do rio, desde a Quinta da Tojeira/Avenida Frei Bartolomeu dos Mártires à Ponte Pedrinha, incluindo a execução de obras na Rua da Fábrica, "Variante Sul", Rua Bernardo Sequeira e Rua dos Barbosas.

Recorde-se que a autarquia já adjudicou a uma empresa da especialidade, a elaboração do projecto de "Regularização e Renaturalização do rio Este".

PUB

De acordo com a vereadora do Ambiente, a empresa adjudicatária e os serviços municipais procedem já, neste contexto, ao levantamento topográfico a que o projecto obriga. "O município vai tratar toda a frente urbana do rio e dignificar todo o espaço, nomeadamente através da introdução de alguns equipamentos e estruturas de apoio que convidem à fruição desta linha de água, inserida numa política global de requalificação urbana e valorização ambiental", explica Ilda Carneiro.

O projecto tem, assim, como âmbito geral o "estudo hidráulico do rio, no troço urbano, para redefinição e consequente ajustamento de secções de vazão para caudais afluentes reportados a diferentes períodos de retorno", a "beneficiação geral e conversão de alguns troços, com o objectivo de melhorar as condições de escoamento do rio e de drenagem das redes de águas pluviais envolventes, em períodos de maior pluviosidade" e a "implementação de acessos à zona de domínio público hídrico e de caminhos pedonais ao longo das margens, com diversificação do revestimento arbóreo nas zonas ribeirinhas".

Minimizar impactos

Ilda Carneiro diz ainda ser "ambientalmente desejável que os trabalhos desta natureza sejam executados por troços de extensão curta a média de forma a que os impactos sobre o ecossistema possam ser minimizados e as intervenções monitorizadas em tempo útil, pelo que foi decidida uma subdivisão em três estudos de natureza idêntica, com objectivos comuns de reabilitação e recuperação de uma extensão ambientalmente degradada".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG