sociedade_e_vida

Medicina antienvelhecimento promete rejuvenescer 15 anos

Medicina antienvelhecimento promete rejuvenescer 15 anos

Tirar 15 anos à idade biológica parece uma utopia, mas é o que a medicina antienvelhecimento se propõe a fazer. Não se trata de parecer mais novo, mas de rejuvenescer biológica e funcionalmente, com os alimentos e os exercícios certos para cada pessoa. Nos Estados Unidos, este ramo da medicina está já muito divulgado. Em Portugal dá agora os primeiros passos.

Antes de mais, é preciso perceber os mecanismos do envelhecimento e quais os factores que atrasam ou aceleram o processo. Sabe-se que há denominadores comuns a todas as pessoas e características específicas de cada uma. Por essa razão, é possível uma pessoa ter 50 anos no bilhete de identidade, parecer menos aos olhos dos outros e os seus órgãos revelarem uma idade biológica de 60. Tudo depende da interacção de vectores como o ambiente oxidante (os oxidantes e os antioxidantes), o equilíbrio entre os ácidos gordos essenciais (como os ómegas 3 e 6) e aquilo que comemos e como nos mexemos, explica Luís Romariz, médico com formação em Age Management Medicine e responsável pelo Instituto Médico New Age, uma clínica pioneira no "antiaging" em Portugal e que abre esta semana, no Porto.

Diagnosticar a idade biológica é, pois, o primeiro passo nesta abordagem pró-activa. Com uma bateria de exames muito abrangentes, é possível saber o estado do coração, dos ossos e dos músculos, como andam as hormonas, qual a percentagem de massa gorda do nosso organismo e como estão a funcionar os principais órgãos. Com este retrato pormenorizado é possível traçar uma plano de acção, feito à medida de cada pessoa, para prevenir as tendências patológicas detectadas, para diabetes ou hipertensão, por exemplo, e inverter o processo de envelhecimento e, até, aumentar a longevidade.

"Uma pessoa de 50 anos, com uma saúde normal e que se empenhe neste programa pode rejuvenescer biologicamente 15 anos", assegura Luís Romariz. Este rejuvenescimento não se traduz na diminuição das rugas ou em qualquer mudança estética. O que melhora, segundo o médico, é o funcionamento das capacidades físicas, mentais e sexuais.

A intervenção assenta em vários pilares alimentação, suplementes nutricionais e exercícios físicos e mentais. A componente alimentar é particularmente importante: gorduras e açúcares são de evitar, já se sabe, mas há muitos outros cuidados a ter se queremos comer para rejuvenescer. A glicação é um conceito estranho para a maioria de nós mas, segundo o especialista em medicina 'antiaging', este processo de junção não enzimática de proteínas e açúcares é responsável pelo aceleramento do envelhecimento. Os hidratos carbonos de absorção rápida, por terem índices glicémicos elevados, são completamente desaconselhados.

Além do açúcar, Luís Romariz destaca, entre os alimentos mais perigosos, a margarina, por ser uma espécie de massa consistente que entope as artérias. "A manteiga é muito mais saudável", sublinha.

Os frutos (principalmente as bagas), os legumes, o peixe (nunca de piscicultura) e a carne magra (preferencialmente de pasto), os lacticínios, os ovos, o pão, a massa e o arroz integrais integram lista do que se deve comer.

Os suplementes nutricionais, para ajudar a corrigir problemas como obesidade, défice de energia ou baixa de antioxidantes, uma carta personalizada de exercícios físicos e práticas como o relaxamento e o yoga, para a redução do stresse, complementam o programa de acção do Instituto Médico New Age.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG