O Jogo ao Vivo

norte

Nascer em Arroios vale 250 euros

Nascer em Arroios vale 250 euros

Quando se prepara um referendo sobre o aborto, Marília Ferreira, a presidente da Junta de Freguesia de Arroios, no concelho de Vila Real, cria incentivos aos nascimentos na sua freguesia e promove um prémio para a natalidade, de 250 euros.

O caso não é para menos. No ano passado, nesta freguesia às portas de Vila Real, registou-se apenas um nascimento, contra os 12 óbitos registados.

Ou seja, os pais de uma criança que "venha ao Mundo "na freguesia, e logo que sejam cumpridas as condições exigidas pela edilidade, passam, a partir de agora, a poder receber o montante estipulado.

"Por nossa deliberação, e por unanimidade, foi decidido atribuirmos este valor a todos os pais cujos filhos nasçam na freguesia a partir de agora. A nossa freguesia está a ficar muito envelhecida e, por tal, é preciso inverter esta tendência. Porque os poucos jovens que nós temos não têm meios de subsistência para terem um lar," sublinhou Marília Ferreira.

Segundo a autarca, este "estímulo visa, essencialmente, a fixação dos casais na terra". Por outro lado, "é uma forma de incentivar o recenseamento na área da freguesia". "Há muita gente que vive na freguesia, mas que não está recenseada cá", acrescentou.

Foi a Assembleia de Freguesia reunida no mês passado que deu o aval, por ocasião da aprovação do Orçamento e Plano para este ano.

Esta concessão de prémio é a primeira vez que acontece. "Temos 1300 pessoas, mas queremos mais população. Por isto mesmo, é que partimos para esta iniciativa".

Os critérios principais de atribuição desta "prenda" passam pelo casal residir há mais de um ano na freguesia e terem de ser eleitores.

O valor decidido é entregue no prazo de dois meses ao casal, depois da entrega da respectiva documentação.

A freguesisia de Arroios dista de Vila Real cerca de cinco quilometros e é constituída pelas povoações de Couto, Cabana, Torneiros e Vilalva.

Subsídio é 100 vezes mais alto

Grávidas alemãs tentaram adiar o nascimento dos filhos até ao passado dia 1, para receber um subsídio que começou a ser atribuído neste ano. O apoio, que pode chegar aos 25 mil euros, quer ìncentivar à natalidade. Aliás, a preocupação dos médicos alemães foi evitar que o esforço para adiar os nascimentos pusesse em risco a saúde de mães e filhos.

Outras Notícias