televisao

"Paixões proibidas" com fraca audiência e fim precoce

"Paixões proibidas" com fraca audiência e fim precoce

Todo o investimento, requinte de produção na escolha do elenco (a participação portuguesa contou com Virgílio Castelo e São José Correia), cenário, texto, elogiada adaptação de três obras do escritor Camilo Castelo Branco pelo brasileiro Aimar Laback não foram suficientes para garantir bons índices de audiência à novela "Paixões proibidas" feita em parceria pela RTP e pela estação Bandeirantes.

No Brasil, a média de sete pontos de audiência (Ibope, InstitutoBrasileiro de Opinião Pública e Estatística) esperada mal passou dos dois pontos. Diante desta perspectiva, ao que o JN apurou, a Bandeirantes vai acabar com "Paixões proibidas" (baseada em "Amor de perdição", "Mistérios de Lisboa" e "O livro negro do padre Dinis") 20 capítulos antes do previsto. A trama terminará na televisão brasileira a 8 de Julho e a última gravação será feita a 7 de Maio.

Já foram exibidas as cenas em que Joaquim, personagem de Erom Cordeiro, será castrado e morrerá de forma trágica em frente de todos durante a festa de casamento da irmã.

Outro aspecto peculiar envolve o fim precoce da produção. O director da trama, Ignácio Coqueiro, assinou contrato com a estação de televisão aberta brasileira, a Record, concorrente da Bandeirantes, e vai assumir o novo cargo já a 1 de Maio. Resta saber quem ficará com a responsabilidade de realizar as últimas cenas de "Paixões proibidas".

Nos corredores da Bandeirantes conta-se que as cenas gravadas entre os dias 1 e 7 de Maio serão dirigidas pelos assistentes de Ignácio Coqueiro na Band.

Cenas alteradas

PUB

Em Fevereiro, na sequência dos fracos resultados em termos de audiência, "Paixões proibidas" já tinha sido remetida para o horário das 17.30 horas, decisão que exigiu reformatação de episódios, por causa de algumas imagens mais ousadas. Certas cenas pensadas para o horário nocturno seriam impróprias para o horário da tarde, sobretudo visto por adolescentes.

Toda essa problemática, no entanto, não impediu a Bandeirantes de continuar a investir em teledramaturgia. A estação está agora a preparar o seu novo projecto, e tudo indica que será uma novela infanto-juvenil.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG