lusa

Testing Lisboa/EleiA§Aμes: CA¢mara deveria assinar novo protocolo com sector cooperativo - Helena Roseta

Testing Lisboa/EleiA§Aμes: CA¢mara deveria assinar novo protocolo com sector cooperativo - Helena Roseta

Lisboa, 26 Jun (Lusa) - A candidata independente à Câmara Municipal de Lisboa Helena Roseta defendeu hoje que a autarquia deveria assinar um novo protocolo com o sector cooperativo da cidade que incluísse a reabilitação dos fogos.

Helena Roseta visitou hoje a cooperativa do Vale Formoso de Cima, maior empreendimento cooperativo de Lisboa com 631 fogos, acompanhada pelo director nacional da FENACHE (Federação Nacional das Cooperativas de Habitação), Manuel Tereso.

A FENACHE assinou dois protocolos com a Câmara Municipal de Lisboa, sendo o primeiro datado de 1990, mas a candidata independente considerou que um novo acordo deve ser concretizado com o sector cooperativo.

De acordo com Helena Roseta, um futuro protocolo deve ter em conta todas as vertentes, como as novas habitações e a reabilitação dos fogos degradados da cidade.

"Os fogos devem ser reabilitados com a intervenção e garantia das cooperativas", disse, adiantando que é um sector com "maturidade e experiência" e "uma forma de produzir habitação com fins sociais e sem fins lucrativos".

A candidata disse ainda que é importante valorizar na campanha "a experiência do sector cooperativo e do modelo de gestão alternativo".

Segundo Helena Roseta, em Lisboa há 291 mil fogos de habitação e 52 mil prédios, representando as cooperativas uma "fatia importante".

O director nacional da FENACHE disse aos jornalistas que desde 1990 já foram construídos em Lisboa 4.199 fogos em regime de cooperativa, dos quais 661 foram oferecidos à Câmara de Lisboa.

No âmbito do protocolo assinada entre a FENACHE e a autarquia, os terrenos para os empreendimentos cooperativos são cedidos pela câmara, que recebe em contrapartida habitações.

Para Manuel Tereso, o protocolo assinado com o município "não está esgotado", mas necessita de ser "actualizado", nomeadamente na reabilitação.

Depois de visitar a cooperativa do Vale Formoso de Cima, Helena Roseta deslocou-se ao Bairro dos Lóios, onde colocou dois post-its para mostrar "Lisboa no seu melhor e no seu pior".

O post-it "Lisboa negativa" foi colocado no lote 232, onde há cerca de dois meses um morador caiu na caixa do elevador.

Este lote foi até agora administrado pela Fundação D. Pedro IV, mas vai passar a ser gerido pelo Estado com a aprovação na Assembleia da República de um dos pontos do projecto do PCP.

No prédio a seguir, lote 231 e administrado por uma cooperativa, a candidatura de Helena Roseta colocou o post-it "Lisboa positiva" para mostrar que "faz toda a diferença serem as cooperativas e os cidadãos a gerirem as habitações".

CMP.

Lusa/Fim