norte

Barragem do Pinhão pronta

Barragem do Pinhão pronta

ABarragem do rio Pinhão, que vai servir cerca de 75 mil habitantes, já está concluída e começou esta semana a encher.

Segundo Alexandre Chaves, presidente do Conselho de Administração da empresa Águas de Trás-os-Montes e Alto Douro (ATMAD)," depois de uma fase de testes, a água da barragem deverá chegar às populações de Vila Real, Sabrosa, Peso da Régua, Murça, Alijó, Santa Marta de Penaguião e Mesão Frio, uma vez que abastece também supletivamente os sistemas de abastecimento de Vila Chã (Alijó) e o Sôrdo (Vila Real), lá para Setembro deste ano".

A barragem, localizada na confluências dos municípios de Alijó, Sabrosa e Vila Pouca de Aguiar, em si, custa cerca de quatro milhões de euros, mas todo o novo sistema de abastecimento, que inclui uma Estação de Tratamento (ETA), oito reservatórios, sete estações elevatórias Sete milhões) e mais de 100 quilómetros de condutas adutoras (8,5 milhões), todas infra-estruturas em fase de conclusão, atinge quase 20 milhões de euros, com um financiamento a fundo perdido por parte do Fundo de Coesão europeu de cerca de 85% .

Passagem para peixes

Alexandre Chaves recordou, ainda, que "este projecto foi objecto de um profundo estudo de impacte ambiental", que obrigou, entre outras coisas, a que a nova barragem disponha de uma passagem para peixes e toupeiras de água". O presidente das ATMAD acrescentou que foi também elaborado "um plano de recuperação da envolvente paisagística, e a obra teve o acompanhamento permanente de um arqueólogo, sendo executado de forma a cumprir todas medidas de gestão dos resíduos e de minimização do impacte ambiental", esclareceu.

A nova albufeira que está a nascer no rio Pinhão, entre as localidades de Justes e Torre do Pinhão, vai permitir um nível de armazenamento superior a 4,2 milhões de metros cúbicos de água, com um caudal ecológico de 0,329 metros cúbicos por segundo.

Para além desta barragem no rio Pinhão, a empresa Águas de Trás-os-Montes e Alto Douro está a executar as barragens de Sambade, em Alfândega da Fé; a das Olgas, em Torre de Moncorvo; a da Ferradosa, em Freixo de Espada à Cinta; e a de Pretarouca, em Lamego. Estas duas últimas deverão também estar concluídas ainda este ano.

ver mais vídeos