lusa

Teatro: Cornucópia estreia em Abril "Don Carlos, Infante de Espanha", de Schiller

Teatro: Cornucópia estreia em Abril "Don Carlos, Infante de Espanha", de Schiller

Lisboa, 17 Mar (Lusa) - O Teatro da Cornucópia estreia a 10 de Abril a peça "Don Carlos, Infante de Espanha", do dramaturgo alemão do século XVIII Friedrich Schiller, com tradução de Frederico Lourenço e encenação de Luís Miguel Cintra.

Aos 27 anos, Schiller publicou, em 1787 - dois anos antes da Revolução Francesa - a primeira versão completa deste "poema dramático", muito próximo da tragédia, que só na aparência é um "drama histórico".

O jovem autor alemão inspirou-se na Espanha de Filipe II para mostrar uma sociedade despótica e repressora dos valores da liberdade política e individual e criar personagens que lutam por uma nova concepção de humanidade.

Por razões de Estado, o rei casa com Isabel de Valois, a amada do jovem príncipe Don Carlos, herdeiro do trono, tornando impossível o seu amor por aquela que é agora sua madrasta.

O príncipe e o seu amigo Rodrigo, marquês de Posa, estão contra a política de Filipe II e querem impedir a repressão violenta da revolta na Flandres, acabando Rodrigo por sacrificar-se por Don Carlos e por um projecto político de defesa da liberdade.

É um teatro de debate político, que retrata um rei dividido entre os valores de Estado e a sua natureza humana, uma Inquisição sempre presente, que vigia e castiga os rebeldes, e personagens tão portadoras de futuro que a sociedade do seu tempo quer inevitavelmente matá-las.

Em palco, a contar esta história estarão os actores Duarte Guimarães, José Manuel Mendes, Luís Lima Barreto, Luís Lucas, Luís Miguel Cintra, Márcia Breia, Nuno Casanovas, Nuno Lopes, Rita Durão, Rita Loureiro, Sofia Marques e Vítor Andrade, para quem o escritor, tradutor e professor universitário Frederico Lourenço recriou poeticamente e adaptou o texto.

"Don Carlos, Infante de Espanha", a segunda produção deste ano da Cornucópia, depois da comédia "A Floresta", de Aleksandr Ostróvski, estará em cena no Teatro do Bairro Alto até 18 de Maio, de terça-feira a sábado às 21:00 e ao domingo às 16:00.

ANC.

Lusa/fim