Cultura

83ª Feira do Livro de Lisboa abre portas a Conferência de Edimburgo

83ª Feira do Livro de Lisboa abre portas a Conferência de Edimburgo

A 83ª edição da Feira do Livro de Lisboa decorrerá entre 23 de maio e 10 de Junho no Parque Eduardo VII e acolhe, pela primeira vez, uma extensão da Conferência de Edimburgo, um dos mais importantes encontros de literatura a nível mundial.

Mas as novidades da Feira do Livro de Lisboa não se esgotam nesta iniciativa já que, igualmente inéditos, serão o serviço de voluntariado e os clubes de leitura.

Quando à congénere do Porto, que este ano foi cancelada, a Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL), pela voz do seu presidente, João Alvim, mostrou-se convicta de que, no próximo ano, talvez seja possível chegar a acordo. "Os editores estão interessados na feira do livro do Porto. Lamentavelmente, este ano, o diálogo com a autarquia foi praticamente nulo". Em causa estaria um financiamento na ordem dos 75 mil euros.

Organizada conjuntamente pela APEL e pela Câmara Municipal de Lisboa (CML), entidade que apoia o evento com 100 mil euros, a Feira do Livro de Lisboa, já em 83ª edição, inclui no seu programa mais de 600 eventos promovidos pelos editores e mais de uma centena de atividades, programadas pela autarquia local.

João Alvim mostrou-se confiante quanto ao êxito desta edição. "No ano passado registamos meio milhão de visitantes. Este ano queremos ultrapassar este número", adiantou.

O otimismo manifestado é também justificado com as muitas novidades programadas e com o vasto programa dedicado ás famílias e ás crianças.

"No ano passado verificamos que 15% da população que veio à feira trazia crianças. Entre os visitantes, 70% deslocou-se ao parque com assumido interesse pela atividade literária, mas também houve 25% dos que vieram à laia de passeio. Por isso, a programação deste ano foi também pensada para corresponder a estes diferentes interesses", referiu pro seu turno Pedro Pereira da Silva, outro dos elementos da APEL.

PUB

Uma das grande novidades ontem anunciada em conferência de imprensa é sem dúvida a extensão da Conferência de Edimburgo à cidade de Lisboa. Dia 25, no recinto da feira, autores nacionais e estrangeiros participarão nos debates "A literatura pode ter caráter político?" e "O romance, qual é o seu futuro?". Entre os convidados estão nomes como José Rodrigues dos Santos, João Tordo ou Mathias Énard.

Uma segunda novidade prende-se com uma equipa de três dezenas de voluntários que prestarão apoio nas mais diversas atividades do evento. A ideia surgiu,d e acordo com a APEL, porque em edições anteriores muitas pessoas mostraram interesse em colaborar com a organização da feira. Inédita também é a participação de vários clubes de leitura que irão promover a leitura e a discussão de alguns livros selecionados.

A destacar ainda os serões de contos, os ateliês de ilustração e de arquitetura, as atividades na área da música e do teatro, as histórias para bebés, contos em inglês, lançamento de livros e encontros com os autores.

Para corresponder a toda esta oferta a organização delineou um horários mais alargado para a feira que pode ser visitada de segunda a quinta-feira das 12.30 às 23 horas, à sexta-feira, das 12.30 às 21 horas, ao sábado e vésperas de feriado das 11 ás 24 horas e, ao domingo, das 11 às 23 horas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG