Cultura

A (e)terna lembrança de Manuel António Pina

A (e)terna lembrança de Manuel António Pina

Leituras, debates e lançamentos assinalam, esta segunda-feira, a preceito o 70.º aniversário de Manuel António Pina. Da Livraria Lello ao Café Piolho, no Porto, a celebração percorre o itinerário afetivo do escritor e jornalista.

A amizade, "a forma mais alta e mais desprendida do amor", como a definiu o próprio Manuel António Pina (MAP), falecido no ano passado, é um dos eixos centrais das comemorações dos 70 anos do seu nascimento, assinalados, esta segunda-feira, em numerosos locais.

Não por acaso, foi esta a data escolhida por alguns dos companheiros mais chegados para oficializar o "Clube dos Amigos à Espera do Pina", alusão à proverbial falta de pontualidade de MAP. A apresentação é hoje, à noite, na Biblioteca Almeida Garrett, no Porto, e não faltarão amigos do poeta, como Álvaro Magalhães, Germano Silva e João Luís.

Este não será, no entanto, o único grupo que tem por objetivo "preservar a memória e promover a literatura" do escritor. Recentemente legalizado, o Círculo Literário e Artístico Manuel António Pina conta com o apoio de professores, investigadores, artistas plásticos, escritores e jornalistas. Arnaldo Saraiva, Graça Morais, Luís Humberto Marcos, José António Gomes, José Rodrigues, Armando Alves, Graça Morais, Manuel Tavares, Leite Pereira e João Fernandes são alguns nomes anunciados como integrando a iniciativa. A edificação de um busto na cidade, a ser concebido por José Rodrigues, é um dos primeiros projetos em ideia.

Ao longo de todo o dia, entre as 10.30 e as 20 horas, a leitura dos poemas de MAP vai ecoar por locais emblemáticos no Porto, como a Livraria Lello, os cafés Piolho e Orfeuzinho ou a Cervejaria Convívio.

Por todo o globo

Se é no Porto, cidade onde viveu desde o final dos anos 60, que naturalmente se concentra a maioria das iniciativas, o impacto das comemorações vai muito mais além. O Museu da Imprensa lançou o desafio a centenas de escolas e universidades em todo o território nacional para que lessem um conjunto de dez poemas do autor homenageado.

PUB

O repto "Pina 70: a poesia no Mundo" não se ficou por Portugal. Com o apoio do Instituto Camões e da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, pretende-se que, um pouco por todo o globo, alunos de escolas, centros de Português e universidades leiam alguns dos mais emblemáticos poemas de MAP.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG