O Jogo ao Vivo

Festival DDD

A história de uma backup dancer por Martim Pedroso

A história de uma backup dancer por Martim Pedroso

Martim Pedroso tem o condão de contar biografias femininas, como poucos no panorama nacional. As produções"Noite de Estreia", "Filhos das mães", "As três velhas irmãs" são exemplos disso mesmo.

Dá-se o curioso facto de Martim Pedroso fazer anos no Dia Mundial da Dança, 29 de abril que ainda não o era quando ele nasceu, mas talvez não seja apenas uma casualidade e num tempo em que precisamos de realidade mágica vamos acreditar que não o é.

Martim Pedroso conheceu a bailarina porto-riquenha Marlyn Ortiz, em 2017, em Lisboa, quando esta andava na "entourage" de Madonna. Ao travar conhecimento com ela, começou a interessar-se pela carreira dos backup dancers- esse corpo de baile essencial a qualquer estrela da pop. Marlyn fez a sua carreira com Madonna, mas também com Jennifer Lopez, Britney Spears e outros que gravitam na indústria do espetáculo de Los Angeles, onde Marlyn habita.

A história tem potencial dramático: como uma mulher não-branca, não privilegiada, consegue alcançar o seu sonho a dançar em discotecas, para ser vista por olheiros que procuram profissionais para estas estrelas maiores. Martim decide então pegar nesta bailarina habituada a estar no fundo da cena e trazê-la para o centro do palco, na obra "5,6,7,8 and One", a habitual contagem musical feita pelos bailarinos antes de uma frase coreográfica.

Depois de ter nascido a ideia de criar um espetáculo sobre esta profissão, muito norte-americana, e já com o guião em andamento entra a pandemia. As fronteiras fechadas e um oceano pelo meio, multiplicam as reuniões digitais entre os dois. A distância potencia então a criação de um filme, sobre a vida desta bailarina que conflui com um espetáculo com Martim Pedroso, em cena também como ator. Ele vai contando a história desta bailarina e a ressonância que lhe provoca. Um documento real, mas, como explica "extrapolado". No elenco estão também dois bailarinos: Mariana Diroma e Sérgio Noé Quintela, escolhidos por Pedroso em audição.

Uma homenagem aos artistas que engrandecem a carreira de outros, e um piscar de olho à cultura pop. Depois do DDD a obra estará em cena na Culturgest em Lisboa, de 18 a 21 de maio.

"5,6,7,8 and One", de Martim Pedroso, dias 25 (19.30 horas) e 26 (22 horas) no Teatro Municipal Constantino Nery

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG