Teatro

A "parte maldita" da humanidade em "A circularidade do quadrado"

A "parte maldita" da humanidade em "A circularidade do quadrado"

Artistas Unidos estreiam peça de Dimitrís Dimitriádis, a partir de hoje no Centro Cultural de Belém, com um elenco que inclui Hugo Tourita, Inês Pereira, Pedro Caeiro e Antónia Terrinha.

"A circularidade do quadrado", de Dimitrís Dimitriádis, sobe ao palco pelas mãos dos Artistas Unidos hoje, 17 de junho, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, com representação de atores como Hugo Tourita, Antónia Terrinha, Inês Pereira, Pedro Caeiro, Nuno Pardal, Simon Frankel, Bruno Vicente, Nuno Gonçalo Rodrigues e Vânia Rodrigues.

A obra, explica Jorge Silva Melo, o encenador da peça, dedica-se "àqueles que vivem, tendo consciência de que quem vive sabe o que é a porcaria". É uma combinação erótica de paixão e desespero que apresenta 11 pessoas de diferentes géneros, gerações e preferências sexuais, que partilham um desejo: serem amadas.

Acontece à volta da "inevitabilidade da nossa existência quando empurra os seus heróis para o limite, colocando-os a incendiar-se e matar-se mutuamente apenas para ressuscitá-los um pouco depois com uma única e partilhada esperança: que talvez desta vez encontrem o amor".

Segundo Silva Melo, a peça escrita em 2009 pelo dramaturgo natural de Salónica, Grécia, "é uma peça sobre "la part maudite", a parte maldita da humanidade". "Dimitrís Dimitriádis é cruel, cru, desabrigado, impiedoso, mas pedindo aos espectadores o que os gregos antigos pediam: terror e piedade", conta o encenador.

Uma das particularidades desta criação é que está montada como se fosse um ensaio. Pela vontade de Rita Lopes Alves, responsável pelos figurinos e pela cenografia, e do próprio Silva Melo, a peça é composta por nove cenas, permanentemente repetidas e sem desenvolvimento. "Como se fossem esquissos ou desenhos que apontam numa direção, mas depois não chega a haver desenvolvimento." Assim, o "fim" de cada personagem nunca é revelado.

Depois das representações no Centro Cultural de Belém, "A circularidade do quadrado" estará em cena no Teatro da Politécnica, em Lisboa, entre 23 de junho e 17 de julho.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG