Arte do dia

Abracadabra que não se acabe a magia

Abracadabra que não se acabe a magia

"Não há luar como o de janeiro, nem amor como o primeiro", diz o adágio popular. Com este último dia do primeiro mês do ano, mas com sabor a dia 1053 de janeiro de 2021, celebra-se o Dia Mundial do Mágico. Magia, essa palavra tão necessária nas nossas vidas, nos acontecimentos, nas relações, na Natureza. Todos estamos necessitados de um truque que nos salve.

A origem da efeméride é uma homenagem a São João Bosco, o padroeiro dos mágicos, falecido em Itália a 31 de janeiro de 1888 e canonizado em 1934 pelo papa Pio XI.

O mágico mais famoso de todos os tempos foi Houdini. Aqui, a gravação de 1907 do truque em que se atirava de uma ponte algemado:

Nos tempos modernos, David Copperfield foi o mágico que gozou de mais êxito internacional. Neste documentário ele explica alguns dos seus maiores truques, como o dia em que fez desaparecer a Estátua da Liberdade em Nova Iorque:

A sétima arte também tem vários clássicos dedicados aos mágicos, entre eles "Fantasia" da Disney, com uma banda sonora maravilhosa. Uma obra de arte imperdível de 1940.

PUB

Já nos anos 1970, o filme de terror "Magic", com Anthony Hopkins, conta a história de Corky, que tem uma apresentação desastrosa no seu primeiro solo de ilusionismo. Para tentar colmatar o fraco desempenho recebe um manequim de ventríloquo chamado Fats e, em poucos anos, Corky está no auge da fama. No entanto, Fats desenvolveu uma mente própria e quer controlar o seu mestre.

E em 2002, o início da saga Harry Potter com a "Câmara dos segredos". Aqui o trailer:

Nas artes plásticas, vários autores renderam-se à figura do mágico, como foi o caso de Marc Chagall, que em 1968 pintou o quadro que pode ver no início desta Arte do dia. Mas a história de Chagall com os mágicos vai muito além. O pintor ilustrou um pequeno livro escrito por Y. L. Peretz (1852-1915), uma figura elevada do Iluminismo judaico conhecido pelas suas histórias, peças e poemas em hebraico e iídiche. Como muitas das obras de Peretz, "Der Kuntsenmakher" (traduzido como "O mágico") inspira-se nos contos populares judaicos, neste caso as lendas que cercam a figura milagrosa de Elias, o Profeta, que, disfarçado e desconhecido, visita um casal pobre e temente a Deus na véspera da Páscoa para transformar a sua pobreza em riqueza.

Para os saudosos de espetáculos, o mágico português Mário Daniel tem hoje, às 17 horas, o espetáculo online Mário Daniel, com o custo de 20 euros. E para quem se quiser atrever a uns truques, a Escola de Magia do Porto tem todos os kits necessários.

Continuemos a sacar coelhos da cartola para enfrentar esta pandemia. E como não há melhor do que música para o espírito aqui ficam dois clássicos, que valem não só pelo seu áudio como pelos criativos videoclips:

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG