O Jogo ao Vivo

Literatura

Alexandre Sousa vence Concurso Nacional Textos de Amor Manuel António Pina

Alexandre Sousa vence Concurso Nacional Textos de Amor Manuel António Pina

Galardões de 2020 e de 2021 foram entregues este sábado no Museu Nacional da Imprensa, no Porto.

"Isto é como cair-me o teto em cima da cabeça." Foi citando Astérix e Obélix que Alexandre Sousa, "um homem da Física e da Eletrónica" de Castelo de Vide, venceu ontem o primeiro prémio da 21.ª edição do Concurso Nacional Textos de Amor Manuel António Pina com "Amor em tempo de guerra não se limpam armas". O autor dedicou o prémio "à mulher da sua vida" e à sua prática de o "queimar com o olhar às terças, quintas e sábados". O diploma, assegurou, vai para a Biblioteca Municipal de Castelo de Vide.

No segundo lugar ficou Tiago Salazar com "Os 10 mandamentos", contemplado com dois prémios, já que foi também o vencedor da edição de 2020, cujos galardões foram ontem igualmente entregues no Museu Nacional da Imprensa, no Porto. A entrega da edição do ano passado havia sido cancelada devido à pandemia. A Irene Lopes de Resende e Nelson Ferraz foram atribuídos ex-aequo os terceiros prémios, com os textos "Noturno no Alentejo - Do lado do amor" e "Aférese", respetivamente.

PUB

Como explicou Luiz Humberto Marcos, diretor do Museu Nacional de Imprensa, entidade promotora do evento, "este ano recebemos quase 500 candidaturas, com concorrentes entre os oito e os 80 anos, dos Açores à Austria". Este volume de participações fez com que fossem atribuídas 11 menções honrosas.

Um dos momentos mais emocionantes da cerimónia foi quando Madalena Bento, uma menina de Oeiras vestida de princesa, foi receber a sua menção honrosa, tendo a sua professora declarado, "adoro a minha profisssão". Gonçalo Eleutério, menino de Rabo de Peixe, presente via Skype, pôs a audiência a rir com o poema "O meu primeiro amor".
Relativo a 2020, foram atribuídos o primeiro prémio a Tiago Salazar, o segundo a Daniela Costa e o terceiro a Maria Teresa de Jesus Almeida Vaz Rodrigues, que leu parte do seu trabalho, escrito em mirandês.

O júri do concurso também foi homenageado. O professor Pires Laranjeira recebeu uma prenda como membro de selecção do concurso desde a primeira edição, que decorreu em 2001 . O professor apelou a todos os participantes a "ler, ler, ler e escrever, escrever e escrever, porque a escrita ajuda à catarse". Na sessão foram também lidos vários poemas de Manuel António Pina por António Domingues e Idalina Pinto. A sessão abriu com o poema "A poesia vai acabar" - mas como este concurso sugere, parece que não.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG