Literatura

Álvaro Siza abre a 21ª edição do Correntes d"Escritas

Álvaro Siza abre a 21ª edição do Correntes d"Escritas

A literatura catalã estará "em grande" e o arquiteto Álvaro Siza é o convidado para abrir o "maior e mais antigo festival literário do país", que decorre de 15 a 23 de fevereiro na Póvoa de Varzim.

São nove dias de festa, 100 escritores de 14 países, 11 mesas de debate, lançamentos de livros, exposições, cinema, concertos, visitas de escritores às escolas, ações de formação para professores, residências literárias, uma feira do livro e atividades para a pequenada.

"O livro é a estrela deste encontro. É isto que nós queremos promover: a leitura, a escrita e o livro", explicou o vice-presidente da Câmara, Luís Diamantino, satisfeito por ver "cada vez mais gente a querer vir" ao Encontro de Escritores de Expressão Ibérica.

Este ano, frisou, há uma nova parceria com o Instituto Ramon Lull, que trará à Póvoa escritores e editores catalães e abrirá, a todos, "novos horizontes".
A conferência de abertura está marcada para dia 19, às 15 horas, no Cine-Teatro Garrett. Nesse dia, Álvaro Siza, o mais premiado arquiteto português de sempre, vai cruzar a arquitetura com a arte e a literatura.

Alargamento às freguesias

O Correntes abrirá, como sempre, com o anúncio do vencedor do Prémio Literário Casino da Póvoa. Lídia Jorge, Mário Cláudio, Mia Couto e Pepetela são alguns dos 15 finalistas dos 120 a concurso.

Depois, são quatro dias de mesas de debate. Laborinho Lúcio, Hélia Correia (a quem este ano será dedicada a revista do encontro), Luís Sepúlveda, Germano Almeida, Afonso Cruz e Valter Hugo Mãe são alguns dos oradores, numa lista que, todos os anos, traz "caras novas" e "jovens escritores emergentes".

Outra novidade desta edição é a ida do Correntes às freguesias. No ano passado, houve uma mesa sobre poesia em Rates. A experiência "foi um sucesso", diz o vereador, que desta vez levará escritores a Rates e também Navais.

A ideia é que todos os anos o encontro abarque mais uma freguesia, até que "todo o concelho esteja, ao mesmo tempo, a celebrar os livros".

Na calha está ainda a candidatura da Póvoa à rede de Cidades Criativas, que se espera esteja concluída dentro de dois anos. Óbidos estará, este ano, no Correntes. "Quanto mais cidades e mais eventos ligados ao livro, mais força teremos", rematou Luís Diamantino.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG