Cinema

"Deus tem AIDS" conquista prémios no Queer Porto

JN agências

Filme realizado por Fábio Leal e Gustavo Vinagre conqusitou dois prémios

Foto Direitos Reservados

O documentário brasileiro "Deus tem AIDS" venceu dois prémios, incluindo o de relativo a melhor filme, na edição deste ano do festival internacional de cinema Queer Porto, que chegou ao fim neste sábado.

"Deus tem AIDS", dos brasileiros Fábio Leal e Gustavo Vinagre, venceu na categoria de melhor filme na competição oficial da 7.ªedição do Queer Porto - Festival Internacional de Cinema Queer.

O filme venceu, na mesma competição, o prémio do público, enquanto "Genderation", da realizadora alemã Monika Treut, recebeu a menção especial, indicou a organização do evento em comunicado.

Segundo o júri, "Deus tem AIDS" revela-se "uma renovada leitura do que é a vida de alguém portador" de sida. Quanto a "Genderation", considera "uma representação rara e muito necessária" de pessoas transsexuais mais velhas.

Na competição "In My Shorts", a de curtas-metragens de escolas de cinema, "Mansa", da portuguesa Mariana Bártolo, foi selecionada como melhor filme.

"O Teu Nome É", de Paulo Patrício, que se inspirou na história da transsexual brasileira Gisberta, agredida por jovens e encontrada morta num poço no Porto, e "Tracing Utopia", de Catarina de Sousa e Nick Tyson, venceram, respetivamente, nas categorias de melhor filme e menção especial do prémio Casa Comum.