Braga

Festival Authentica arranca sexta-feira com música, arte e cuidados de beleza

Sandra Freitas

O bilhete diário custa 45 euros e o passe para os dois dias de festival 75 euros.

Foto Dr

O festival Authentica arranca esta sexta-feira, no Altice Forum Braga, com Kodaline, Luíza Sonza e Becky Hill como cabeças de cartaz. No dia seguinte, sábado, são Ragn"n"Bone, James Bay e Nothing But Thieves as figuras de destaque.

A primeira edição deste festival de inverno vai ocupar quase todas as salas do interior do Altice Forum Braga, com o palco principal a instalar-se na grande nave, as bandas emergentes no grande auditório (Palco Auditorium) e a música eletrónica a dominar uma sala do primeiro piso do edifício, onde estarão quatro Dj"s por noite. O promotor do evento, Marco Polónio, da Malpevent, chama-lhe uma "dance room" com espaço para 700 pessoas.

Antes de começar a festa, na entrada principal, os foliões vão poder preparar-se a rigor na "wellbeing zone", uma espécie de salão de beleza com cabeleireiro, massagens, tatuadores ou até venda de roupa e bijutaria. Serão, ainda, confrontados com obras de arte da autoria de artistas de rua que foram contratados pela organização. As peças serão leiloadas e o valor reverterá para uma instituição de solidariedade social.

No exterior, a organização decidiu montar a tenda de comes e bebes, com dez barraquinhas, e um quarto palco (Palco Urban), também abrigado da chuva que possa vir a sentir-se. Por aqui, passarão nomes portugueses como Dino D"Santiago, Mundo Segundo&Sam The Kid, Profjam, Chico da Tina ou Jimmy P.

"O festivaleiro estará sempre protegido em todo o recinto, inclusive no exterior", assevera Marco Polónio, adiantando que outra das particularidades do Authentica é que não haverá transação de dinheiro físico. Cada bilhete vai ser trocado por uma pulseira que serve de meio de pagamento. Esta pode ser carregada através de várias modalidades, que serão explicadas num folheto entregue à entrada.

Segundo Marco Polónio, o recinto está preparado para receber até 18 mil pessoas por dia, mas a expectativa é que, por esta primeira edição do Authentica, passem cerca de dez mil festivaleiros, por dia. "Sentimos que a partir de 25 de novembro, a venda diária de bilhetes triplicou", constata o promotor, adiantando que a escolha de Braga pretendeu "descentralizar" o acesso à cultura, mas também teve em atenção o facto da cidade "ser uma das mais jovens do país e das que mais tem crescido".

O objetivo é que o Authentica permaneça como festival de inverno, nos próximos anos, "porque em Portugal não existe esta dinâmica".

O bilhete diário custa 45 euros e o passe para os dois dias de festival 75 euros. Há, também, um passe geral VIP por 150 euros e entrada de um dia VIP por 80 euros.