Teatro

Morreu o mestre do teatro, o encenador Peter Brook

JN/Agências

O encenador Peter Brook, um dos mais influentes do século XX, morreu no sábado, com 97 anos

Foto Lionel Bonaventure / Afp

O encenador Peter Brook, um dos mais influentes do século XX, morreu no sábado, com 97 anos de idade, noticia, este domingo, a agência France Presse citando fonte próxima de Brook.

O mestre do teatro, nascido no Reino Unido mas que fez grande parte da carreira em França, à frente do seu teatro parisiense "Les Bouffes du Nord", reinventou a arte da encenação, privilegiando formas depuradas em vez de cenários tradicionais.

Foi no final dos anos 60, após dezenas de sucessos, entre os quais várias peças de Shakespeare, e depois de ter dirigido os melhores - de Laurence Olivier a Orson Welles -, que decidiu instalar-se em França, onde iniciou o período experimental marcado pela teoria do "espaço vazio".

Foi também naquele país que encenou peças monumentais, pautadas pelo exotismo e com atores de diferentes culturas.

A peça mais conhecida é "O Mahabharata", epopeia de nove horas da mitologia hindu, adaptada ao cinema em 1989.

Nos anos 90, triunfou no Reino Unido com "Lindos Dias", de Samuel Beckett. Os críticos saudaram-no com um "melhor encenador Londres não tem".

Após uma aventura de mais de 35 anos no "Bouffes du Nord", Peter Brook deixou a direção do teatro em 2010, aos 85 anos, tendo continuado a encenar produções até recentemente.