Palco

Um adeus de Tiago Guedes ao Porto

Margarida Cerqueira

Despedida de Tiago Guedes anunciada na Câmara do Porto ao lado de Rui Moreira

Foto Igor Martins / Global Imagens

Projetos desenvolvidos pelo diretor artístico, como o Festival Dias de Dança, irão ter continuidade.

"Não me perguntem muito, não seria razoável que eu já pudesse dizer alguma coisa." Foi assim que Rui Moreira rematou o discurso de arranque da conferência de imprensa que decorreu ontem na Câmara Municipal do Porto, na sequência da saída de Tiago Guedes da direção artística do Teatro Municipal do Porto (TMP).

Segundo o autarca, esta foi uma "estratégia conjunta", porque além da relação profissional, os dois formaram uma amizade durante os oito anos em que Guedes ocupou o cargo. "O Tiago informou-me e eu achei muito bem", uma vez que era um "convite irrecusável". O presidente da Câmara referia-se à nomeação de Tiago Guedes como diretor artístico da Maison de la Danse, em Lyon, França.

Embora ainda não se saiba quem irá substituir o diretor artístico, a próxima temporada está programada e os colaboradores do teatro irão dar continuidade aos projetos por ele desenvolvidos. Lembrando que, além da posição que ocupava, Tiago Guedes criou um festival de referência nacional no que toca a artes performativas, o Dias da Dança (DDD). Rui Moreira garantiu que irá "manter o Festival DDD, que continuará a ser organizado pelo TMP".

Embora só assuma funções em pleno em França a 1 de setembro, a saída ocorre no final de junho e, de acordo com Tiago Guedes, este não será um corte definitivo de relações com o Porto. "O TMP já colabora com a Maison de la Danse há muitos anos", logo "essas colaborações, certamente, vão-se intensificar".

Tiago Guedes foi eleito para a direção da Maison de la Danse e, por inerência, para a codireção da Bienal da Dança em França por unanimidade do júri, composto por representantes da Metrópole de Lyon, da região de Auvérnia-Ródano-Alpes, do Ministério da Cultura francês e da presidência da Maison de la Danse. Irá suceder a Dominique Hervieu, que deixou o cargo em fevereiro deste ano.

Paralelamente à direção artística do TMP e à criação do DDD, Guedes foi responsável pela fundação do Centro de Residências e Criação Artística CAMPUS Paulo Cunha e Silva, inaugurado em junho de 2021. Nome sonante da dança em Portugal, formou-se pela Escola Superior de Dança do Instituto Politécnico de Lisboa. Entre 2001 e 2013 foi bailarino e coreógrafo.

Na conferência de imprensa, Tiago Guedes também referiu que "poucos ou nenhuns seriam os projetos que me fariam querer sair do Porto. No entanto, defendo que os diretores artísticos de instituições não se devem eternizar nos seus cargos. Esta oportunidade e timing pareceram-me ser os corretos para tentar novos desafios". O programador diz sair descansado e com a sensação de dever cumprido.

Relacionadas