Artes/Etc

Associação Portuguesa de Harpa atrai 94 artistas para o Porto

Associação Portuguesa de Harpa atrai 94 artistas para o Porto

A Associação Portuguesa de Harpa associa-se ao centenário do Conservatório de Música do Porto com a realização do 1.º Concurso Internacional de Harpa, com a participação de harpistas de todo o mundo, entre sexta-feira e domingo.

O 1.º Concurso Internacional de Harpa em Portugal arranca esta sexta-feira e decorre até domingo, com a participação de 94 candidatos, entre os oito e os 25 anos. Inserido no centenário do Conservatório de Música do Porto, atrai músicos dos quatro cantos do Mundo.

"Temos 36 candidatos portugueses. No entanto, este concurso despertou muito interesse internacionalmente. Por isso, totalizamos 94 inscritos desde de Hong Kong até aos Estados Unidos, não esquecendo os candidatos europeus", contou ao JN, Áurea Guerner, presidente da Associação Portuguesa de Harpa e professora no Conservatório.

Portugal não é um país com tradição em Harpa. No entanto, há cada vez mais entusiastas pelo instrumento e foi por isso que há dois anos foi criada a Associação Portuguesa de Harpa.

Para se afirmar no panorama artístico, a entidade apostou na organização deste evento, escolhendo a comemoração do centenário do Conservatório de Música do Porto para o realizar. "A nível nacional temos um bom crescimento neste instrumento. Os portugueses participam em muitos concursos internacionais e são premiados. Por isso houve a necessidade de criar a associação e, consequentemente, organizar este evento", concluiu Áurea Guerner.

Além das audições dos participantes, que decorrerão nos três dias, o 1.º Concurso Internacional de Harpa em Portugal contará com dois grandes espetáculos. Esta sexta-feira, sobem ao palco do Conservatório de Música do Porto o duo Ana Aroso e Eva Tomsic para um concerto único só com harpas. Sábado, o espetáculo estará a cargo de Nadia Birkenstock na harpa céltica e de Steve Hubback na voz.

O evento encerra no domingo com a entrega dos prémios. "São quase todos eles monetários, salvo a possibilidade de apresentação de um recital na Casa da Música", realçou a Presidente da Associação Portuguesa de Harpa.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG