Música

BTS e Taylor Swift: em 2020 a música foi deles

BTS e Taylor Swift: em 2020 a música foi deles

Mercado mundial cresceu 7,4% em ano de pandemia. Streaming representa quase dois terços da receita.

O grupo de K-pop BTS foi ontem anunciado como líder mundial de vendas, em 2020, pela Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI), da qual faz parte a portuguesa Audiogest. O mercado da música cresceu pelo sexto ano consecutivo e nem a pandemia travou o aumento do volume de vendas em 7,4%, para 18,1 mil milhões de euros.

"O mercado da música provou a sua resiliência num ano de circunstâncias extraordinárias", considerou Frances Moore, presidente da IFPI, durante a conferência de imprensa de apresentação dos resultados das vendas mundiais de música. O crescimento astronómico da boys band sul-coreana BTS no mercado digital e o sucesso de vendas do álbum "Map of the soul: 7", lançado a poucos dias do início da pandemia, catapultaram o conjunto para o topo das vendas mundiais (ver lista).

PUB

"Map of the soul: 7" foi o disco mais vendido do ano em todo o Mundo, com quase cinco milhões de cópias, seguido por "BE (deluxe edition)", também dos BTS. Em terceiro lugar ficou "Stray sheep", do japonês Kenshi Yonezu. O single mais valioso foi, no entanto, "Blinding lights", do canadiano The Weeknd.

Pandemia antecipou

As subscrições pagas de plataformas digitais como o Spotify, Apple Music ou YouTube Music foram as grandes impulsionadoras do mercado em ano de pandemia. Os 18,1 mil milhões de euros arrecadados pela indústria só têm paralelo no ano de 2002, altura em que as vendas físicas representavam 96%. Hoje, o formato físico não preenche sequer 20% da receita, e o streaming é responsável por quase dois terços do retorno financeiro da música.

"A pandemia antecipou o caminho natural da digitalização", concluiu Dennis Kooker, responsável da Sony Music para o mercado digital. Em comparação com 2019, o streaming pago viu as receitas crescerem 18,5% para 11,2 mil milhões de euros. A 31 de dezembro existiam 443 milhões de utilizadores de plataformas de streaming com subscrição paga.

Em sentido inverso, as vendas físicas caíram 4,7%, os downloads quebraram 17,3% e os direitos de sincronização (uso de música em filmes, jogos e anúncios) baixaram 9,4%. Ainda assim, alerta Simon Robson, presidente da Warner Music, "não devemos assinar já a sentença de morte do formato físico", uma vez que "há fortes sinais do crescimento do vinil no mercado asiático".

Sem surpresa, Portugal está fora dos maiores mercados mundiais da música. Os Estados Unidos lideram, seguidos pelo Japão, Reino Unido, Alemanha, França, Coreia do Sul, China, Canadá, Austrália e Holanda.

1 - BTS

2 - Taylor Swift

3 - Drake

4 - The Weeknd

5 - Billie Eilish

6 - Eminem

7 - Post Malone

8 -Ariana Grande

9 - Juice Wrld

10 - Justin Bieber

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG