Cultura

Cavaco sublinha "marca indelével" que Graça Moura deixa na cultura

Cavaco sublinha "marca indelével" que Graça Moura deixa na cultura

O presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, lamentou, este domingo, a morte do escritor e tradutor Vasco Graça Moura, sublinhando a "marca indelével" que deixa na literatura, no debate democrático de ideias e na defesa da cultura.

"Neste momento de luto, rendo a minha homenagem ao homem de letras e ao homem de ação, que deixa uma marca indelével tanto na literatura, como no debate democrático de ideias e na defesa da nossa cultura", lê-se numa mensagem divulgada no site da Presidência da República.

Na missiva, o chefe de Estado sublinha que foi com "profundo pesar" que tomou conhecimento da morte de Vasco Graça Moura, "um dos maiores escritores portugueses das últimas décadas e um dos intelectuais que mais contribuíram para a afirmação e a projeção internacional da nossa cultura".

"Poeta e romancista de prestígio abundantemente reconhecido, quer entre nós, quer no espaço europeu, Graça Moura foi também o tradutor de alguns dos grandes autores do Ocidente para a língua portuguesa, a qual enriqueceu como poucos", recorda Cavaco Silva.

Além disso, acrescenta o presidente da República, o seu dinamismo e a sua criatividade, enquanto responsável por várias instituições ou como deputado ao Parlamento Europeu, "foram decisivos para o reconhecimento da cultura portuguesa além-fronteiras".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG