UE

Comissária defende apoio forte à Cultura no plano de recuperação da UE

Comissária defende apoio forte à Cultura no plano de recuperação da UE

A comissária europeia da Cultura defendeu, esta terça-feira, que a atual crise provocada pela pandemia da covid-19 só evidencia a necessidade e a justiça de aumentar os apoios ao setor no quadro do plano de relançamento da economia europeia.

Numa conferência de imprensa após uma videoconferência com os ministros da Cultura da UE, a comissária Mariya Gabriel, questionada sobre o facto de muitos trabalhadores dos setores criativo e cultural se sentirem abandonados no contexto da atual crise, sublinhou "as muitas ações" de apoio tomadas ao nível europeu ao longo dos últimos dois meses, mas admitiu que é preciso mais, pois, juntamente com o Turismo e os Transportes, este foi dos setores mais atingidos.

Recordando as iniciativas no quadro do programa Europa Criativa e apontando que as decisões tomadas a nível da flexibilização das regras de ajudas de Estado, assim como o novo programa temporário Sure para minimizar os riscos de desemprego, também abrangem os setores criativo e cultural, a comissária comentou que tal "obviamente que não é suficiente, mas também não se pode dizer que não é nada".

Expressando a sua "solidariedade com toda a gente ligada aos setores criativo e cultural", pois, sublinhou, "é graças a eles que foi possível resistir melhor à crise", já que é "difícil imaginar o que teria sido o confinamento sem acesso a conteúdos 'online', artes e espetáculos", que continuaram a ser fornecidos "com muita criatividade e inovação", Mariya Gabriel defendeu que tal só evidencia a importância da Cultura, que espera ver refletida no plano de relançamento que a UE está a finalizar.

"A Cultura tem um papel importante a desempenhar no plano de recuperação e no próximo Quadro Financeiro Plurianual [o orçamento da UE para 2021-2027]. Devemos usar esta crise como uma oportunidade para insistir em como é importante aumentar o orçamento, não só do Programa Europa Criativa mas também do Horizonte Europa, e reforçar o papel do setor criativo e cultural na nossa estratégia de recuperação", defendeu a comissária búlgara.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG