Premium

Como o império do circo ruiu em três meses

Como o império do circo ruiu em três meses

Cirque du Soleil pediu insolvência, expondo crise do setor. Em Portugal há já quem dependa do RSI para viver.

O maior império da arte circense ruiu em três meses de pandemia. O Cirque du Soleil, gigante mundial com sede em Montreal, Canadá, pediu insolvência e despediu 3500 trabalhadores. Com 40 espetáculos cancelados em todo o Mundo, a maior companhia de artes performativas do planeta precisa de 150 milhões de euros só para devolver o dinheiro de bilhetes já comprados.

A pandemia foi o golpe final numa estrutura que há muito dava sinais de estar enfraquecida. Segundo o jornal espanhol "El País", a companhia tinha uma dívida de 850 milhões de euros há cinco anos e a quebra de faturação decorrente da covid-19 não lhe deixou alternativas. Mas ainda há alguma esperança.