Ucrânia

Companhia de Teatro de Braga participa no Festival Internacional "Melponema Tavrry"

Companhia de Teatro de Braga participa no Festival Internacional "Melponema Tavrry"

A Companhia de Teatro de Braga volta a viajar até Kherson, na Ucrânia, para participar no Festival Internacional de Teatro Melpomena Tavryy onde apresenta dois espetáculos: "A MAIS FORTE" e "PÁRIA" de August Strindberg.

Melpomena Tavryy é o Festival Internacional de Teatro que se realiza em Kherson, todos os anos desde 1999. O seu principal objetivo é a promoção do teatro e o intercâmbio de experiências e culturas.

O diretor Rui Madeira, integra o júri internacional do Festival que começa esta sexta-feira, 3 de Setembro de 2021 e termina no dia 11 de Setembro de 2021. A CTB sobe ao palco do Festival no dia 4 às 16 horas.

Diz, a propósito, o encenador e ator: "Em finais de 1888 e princípios de 1889, Strindberg escreve algumas obras curtas em um ato a pensar no Teatro Experimental que está a fundar em Copenhaga, seguindo o modelo de Antoine, em Paris. Entre essas obras estão: A Mais Forte, peça escrita essencialmente para Siri von Essen, sua mulher. A Mais Forte é considerada como um dos mais brilhantes monólogos da história do teatro (embora na realidade se trate de 3 personagens em cena), e PÁRIA."

FICHA TÉCNICA E ARTÍSTICA

A peça «A MAIS FORTE» tem tradução, dramaturgia e encenação de Rui Madeira, cenografia de Manuela Bronze, confeção e guarda-roupa de Mónica Melo, maquilhagem de Jacqueline Caetano, ambiente sonoro de Grasiela Müller, desenho de luzes de de Tierri Pinto, montagem de Fernando Gomes, interpretação de Solange Sá e Eduarda Filipa. Já a PÁRIA / Pariah tem interpretação de André Laires e Rogério Boane.

August Strindberg - sublinha a Companhia - é um dos nomes mais importantes da história do teatro e uma das personalidades mais controversas da literatura moderna. Nasceu em Estocolmo em 1849. Foi dramaturgo, encenador, actor, romancista, novelista, poeta, escreveu obras de carácter científico, foi jornalista, pintor, fotógrafo. Viveu em França, Itália, Alemanha, Suíça. Teve uma vida agitada e atormentada por profundas crises pessoais. Nas suas obras se percebe a influência de Nietzsche, Rousseau, do socialista utópico Fourier e de todo um tempo em mudança na Europa. Morreu em Estocolmo em 1912.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG