Premium

Companhias artísticas e empregos em risco

Companhias artísticas e empregos em risco

"Os trabalhadores das artes são como os outros: têm luz e casa, têm contas para pagar, têm as escolas dos filhos", lembra David Carvalho, da Filandorra - Teatro do Nordeste, uma das 75 estruturas que conseguiram nota suficiente, mas não tiveram direito a financiamento no Programa de Apoio Sustentado da Direção-Geral das Artes para 2020/2021.

Os concursos estão a gerar descontentamento entre os artistas e há companhias em risco de fechar ou a ponderar despedimentos. Os protestos motivam o debate de hoje no Parlamento, a pedido do PCP, que quer explicações da ministra da Cultura, Graça Fonseca.

Na Filandorra a situação é dramática. David Carvalho assumiu ao JN que, caso não existam medidas de recurso, pedidas também por parceiros como a Universidade de Trás-os Montes e autarquias da região, terá de dispensar metade dos trabalhadores. O diretor artístico avança com duas datas simbólicas para o possível fim da companhia: o Dia Mundial do Teatro ou o Dia de Portugal.