Música

Conan Osiris ganha Festival da Canção

Conan Osiris ganha Festival da Canção

Conan Osiris foi o grande vencedor da 53.ª edição do Festival da Canção, disputada, este sábado à noite, na Portimão Arena.

A música "Telemóveis", composta pelo intérprete, foi a mais votada da noite, confirmando o favoritismo que lhe vinha sendo atribuído. Teve praticamente a unanimidade do júri das sete regiões portuguesas (só o júri do Algarve não deu os onze pontos à música de Conan Osiris). No televoto, também recebeu a pontuação máxima. Somou 24 pontos.

Na primeira reação após o festival, Conan Osiris disse que ainda estava "à toa "com a vitória e queixou-se de uma dor num pé. Justificou estar insensível por ter tomado um analgésico.

Perante um pavilhão Portimão Arena praticamente esgotado com cerca de 3.500 espetadores, e com uma votação on-line do público e de um júri composto por personalidades da música e da televisão em sete regiões do país, NBC ficou na segunda posição, enquanto Matai acabou na terceira.

"Telemóveis" sucede a "O Jardim", interpretada por Cláudia Pascoal e composta por Isaura, a representante portuguesa no Festival Eurovisão da Canção em 2018, que decorreu pela primeira vez em Portugal, em Lisboa, depois de o tema "Amar pelos dois", interpretado por Salvador Sobral e composto por Luísa Sobral, ter vencido no ano anterior, em Kiev.

Noite de memória e humor

A produção da RTP no Portimão Arena foi recheada de momentos de humor protagonizados pelos apresentadores Vasco Palmeirim e Filomena Cautela com Inês Lopes Gonçalves na Green Room.

A dupla principal entrou em palco a cantar, primeiro ele e depois a dois, numa espécie de "medley" de temas icónicos que venceram o festival, de letra adaptada com piada.

O passado foi ainda lembrado antes do anúncio dos vencedores, com as atuações de Armando Gama, Anabela, Vânia Fernandes e Cláudia Pascoal, respetivamente vencedores de 1983, 1993, 2008 e 2018.

Os oito finalistas também cantaram temas de outros tempos, na Green Room, onde reinou sempre a boa disposição e alegria.

Mais a sério, a noite foi de mensagens fortes para o Mundo. NBC lembrou que "há pessoas na Venezuela que não têm nada para comer" e Pedro da Rosa, dos Madrepaz, frisou que o grupo levou a cara pintada com bandeiras de países que "estão a passar por mudanças ou precisam de mudar".