Artes visuais

Conferência junta Joana Vasconcelos e Ai Weiwei em debate sobre estado da Arte pós-pandemia

Conferência junta Joana Vasconcelos e Ai Weiwei em debate sobre estado da Arte pós-pandemia

O artista chinês Ai Weiwei e o filósofo francês Gilles Lipovetsky estão entre os participantes da conferência internacional "Reboot: A Arte ao Serviço da Sustentabilidade do Planeta", promovida pela Fundação Joana Vasconcelos, que acontece esta sexta-feira em Lisboa.

.De acordo com a artista plástica Joana Vasconcelos, em declarações à Lusa, a 1.ª edição da "Reboot", é "um espaço de debate e reflexão sobre o estado da Arte depois da pandemia".

"No fundo, servirá para fazer uma espécie de avaliação do momento presente e da situação em que vivemos, debatendo várias temáticas, como a Arte Pública, Arte e Cidadania ou de que maneira é que os artistas têm uma intervenção social", afirmou.

A lista de participantes inclui, segundo o curador da conferência, André de Quiroga, conferencistas da China, França, Brasil e Espanha.

Entre os participantes contam-se os artistas Ai Weiwei e Xing Danwen, o colecionador Sylvain Levy, o artista Jean Denant, o primeiro diretor do Museu Berardo, Jean-François Chougnet, o diretor do Museu do Museu de Arte Moderna do Centro Georges Pompidou, Bernard Blistène, e o filósofo Gilles Lipovetsky.

O curador e crítico francês de arte Nicolas Bourriaud, cofundador do Palays de Tokyo em Paris, a artista Xing Danwen, que representou a China na Bienal de Veneza em 2006, o 'chairman' do Continental Europe for Corporate and Investment Banking do Citigroup, Luigi da Vecchi, a responsável pela Temporada Cultural Cruzada França Portugal 2022 Victoire Bidegain Di Rosa, o diretor da Royal Spanish Academy, em Roma, Angeles Albert, o responsável pelo projeto de arte contemporânea da Biblioteca do Vaticano, Cristiano Grisogoni, o artista brasileiro Sidival Fila, membro da Ordem Franciscana dos Frades Menores, são outros participantes.

O especialista em arquitetura e planeamento das cidades Jean Denant deverá falar sobre uma ponte em França, projeto utilitário que questiona os estereótipos das relações entre as artes plásticas, a engenharia e a arquitetura.

PUB

Devido à situação atual, em que há algumas restrições na circulação entre países, alguns conferencistas, como a artista Xing Danwen, participarão de forma virtual.

Dos vários debates, André de Quiroga destacou o que irá juntar Joana Vasconcelos e Ai Weiwei, moderado pelo curador de arte espanhol Enrique Juncosa, e terá como tema a responsabilidade social dos artistas.

André de Quiroga lembra que, além de artista, Ai Weiwei é também ativista e que Joana Vasconcelos tem muito presente na sua obra as questões da igualdade de género. Além disso, o comissário recordou que a artista portuguesa criou, em 2012, a Fundação Joana Vasconcelos, através da qual atribui bolsas de estudo a estudantes de artes.

A conferência, salientou, além de servir para "repensar o futuro, o ecossistema das artes", será também para "tentar estender a área da influência geográfica da fundação ao mercado que a Joana tem enquanto artista que é um mercado global".

A "Reboot: A Arte ao Serviço da Sustentabilidade do Planeta" decorre no atelier da artista, junto ao rio Tejo, na zona de Alcântara, e será acessível ao público, que pode assistir 'online', de forma gratuita.

As inscrições na conferência poderão ser feitas através do 'site' oficial da "Reboot".

A "Reboot" conta com o apoio do programa Garantir Cultura, destinado a apoiar a criação e a programação artísticas, em todo o país, com o objetivo de, segundo o Governo, contribuir "para a recuperação do setor", na sequência das medidas restritivas das atividades.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG